Ibovespa em queda: índice recuou 2,86%

Por Felipe Souza

O Ibovespa registrou queda da última sexta feira. o índice principal registrou um recuo de 2,86%, marcando 111.078 pontos.

O principal índice das ações da bolsa (B3) abriu com queda nesta segunda feira (25 de Abril), acompanhando um viés de baixa nos mercados mundiais. Os investidores estão preocupados com o impacto das medidas restritivas na China, a qual configura o segundo maior mercado do mundo. Os chineses estão enfrentando uma nova crescente de contaminação de COVID, e por este motivo fortaleceram as medidas restritivas.

Outro fator que contribuiu para queda na Ibovespa foi o aumento agressivo dos juros nos Estados Unidos, pois tal mudança faz com que muitos passassem a fazer investimentos menos voláteis, optando por um perfil mais conservador de investimentos.

PARA VOCÊ:
Auxílio Brasil bloqueado: O que fazer quando o benefício for bloqueado pelo governo?

As 10 horas da manhã desta segunda feira a Ibovespa marcou um recuo de 0,27%. Na sexta feira a queda registrada foi de 2,86%, e acumulou o quinto recuo diário consecutivo. Portanto, ao total a queda acumulou 7,43% neste mês. Porém o ano ainda acumula uma marca de alta de 5,97%.

Ibovespa em queda: O que está afetando o mercado?

O mercado Chinês tem gerado impactos mundialmente. Pois as bolsas chinesas registraram uma queda recorde, que superou todas as quedas desde fevereiro de 2020. Os preços de barris de petróleo caíram cerca de 4%, e as bolsas europeias também operam em queda.

PARA VOCÊ:
Saque do FGTS, A Caixa Econômica Federal segue realizando as liberações do saque extraordinário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço

O cenário pessimista é praticamente geral no quesito global. Portanto até mesmo os contratos futuros dos minérios de ferro da bolsa de Dalian registraram uma queda de 11% durante esta manhã de segunda feira. A situação é um tanto preocupante, levando-se em conta que há um problema crescente relacionado a demanda do aço na China gerar uma derrubada nos preços.

Por conta da China ser uma das maiores potências do mundo, uma crise no gigante asiático gera uma queda direta no mercado de commodities. Pois muitas cidades chinesas vivenciam uma situação de lockdown, o que resulta na redução de produção e retração de mercado. Xangai já está na quinta semana de restrição, e em torno de 4 milhões de pessoas permanecem em confinamento.

PARA VOCÊ:
FGTS para mulheres: Liberação para pagar creches é anunciado pelo governo

Os grandes bancos americanos já estão cogitando até 2 altas de 75 pontos na taxa de juros para junho e julho, pois a inflação permanece crescendo.

Quanto ao cenário brasileiro, um dos motivos da retração além do cenário geopolítico é relacionado aos desentendimentos e conflitos na tripartição de poderes, pois ocorreram desentendimentos entre o Presidente da República e o Supremo Tribunal Federal durante os últimos dias.

Artigos relacionados