Canpack investe R$ 250 milhões para construir nova fábrica e gerar centenas de novos empregos

Por Valdemar Medeiros
Publicidade

Manaus receberá, a partir de 2023, uma nova fábrica de produção de tampas de alumínio para bebidas. A fábrica da Canpack terá uma capacidade de produção de 5 bilhões de latas anuais. A empresa confirmou que serão investidos R$ 250 milhões para a instalação da unidade que criará diversos empregos na cidade, com previsão para começar suas operações no final do próximo ano.

Setor de latas para bebidas gera cerca de 1000 empregos diretos 

A estimativa é que a fábrica da Canpack traga cerca de 150 novos empregos diretos e indiretos à cidade. Atualmente, o setor de latas para bebidas gera cerca de 1 mil empregos diretos e indiretos.

O presidente da Associação Brasileira de Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas), Cátilo Cândido, destaca que o setor, apesar de usar muita tecnologia, deve gerar novos empregos para a cidade desde a construção da fábrica.

Publicidade

A empresa está se juntando às três fábricas de latas de alumínio para bebidas – das empresas Ardagh, Crown Embalagens e Ball, já em operação na cidade.

PARA VOCÊ:
Prefeitura de Curionópolis — PA abre processo seletivo com dezenas de vagas de emprego para candidatos com ensino médio completo

Leia: Estudantes da rede pública do Pará podem participar do Processo Seletivo para obterem bolsa de estudo integral no curso de medicina

De acordo com Cátilo, é um setor muito automatizado, com foco na indústria 4.0, tem muita tecnologia, precisão, com as melhores tecnologias do mundo, e essa fábrica também será desta forma, com as melhores tecnologias do setor, além de serem sustentáveis. Além disso, a fábrica da Conpack, visa gerar empregos, impostos e também confirmar o vocativo que está sendo trazido para Manaus como a capital mundial das tampas de alumínio para bebidas.

Fábricas existentes serão expandidas

Publicidade

Com os projetos de expansão das fábricas atuais e a inauguração da fábrica da Conpack. Manaus passará de uma produção anual de 25 bilhões para 37 bilhões de tampas produzidas no próximo ano, representando um aumento de 45% de produção em apenas um ano.

PARA VOCÊ:
Economistas apontam que o Brasil pode ser um dos países mais afetados pela desaceleração da economia chinesa

O setor de latas de alumínio no Brasil está passando por um momento único. Tendo em vista que vem crescendo há muitos anos. Se for parado para analisar os últimos dez anos, a expansão média é de 8%.

Desta forma, há um crescimento constante da latinha e o consumidor está cada vez mais descobrindo este material. Segundo o presidente da Abralatas, atualmente o portfólio está extenso e já existem 13 tamanhos de latas diferentes para adaptar as demandas dos consumidores.

Publicidade

No Brasil, as vendas do setor de latas para bebidas se expandiram em 81% na última década, de 2011 a 2020, com uma média de expansão anual de 8% de 2017 para cá. Sendo assim, o Brasil é o terceiro maior mercado de latas de alumínio do mundo, com um consumo de 157 unidades per capita ao ano. Apenas no último ano, foram 33,4 bilhões de latas consumidas.

PARA VOCÊ:
Programa de Estágio 2022 da Vale recruta jovens de Santarém e regiões adjacentes

Reciclagem no Brasil vem crescendo

Outro destaque no setor de latas de alumínio para bebidas vai para o índice de reciclagem das embalagens no Brasil, que é um dos maiores do mundo. Apesar do aumento acelerado do setor, no último ano, quase 99% do total de latas consumidas foram recicladas e voltaram para o mercado em um prazo médio de 2 meses.

Segundo Cátilo, a latinha de alumínio para bebida é chamada de embalagem do futuro por diversas causas, além de ser mais prática, é mais cômoda. A lata comporta diversos tipos de produtos e é muito mais sustentável.

O Brasil carrega o título de campeão mundial de reciclagem de latinhas e seu índice é de 98,4%, em um ciclo muito rápido, a média da reciclagem no país após o consumo é de 60 dias, isto é, ela volta a ser lata novamente em dois meses.

Publicidade
Artigos relacionados