O custo médio para se ter um carro elétrico agora é de US$ 54.000 ou R$ 280.00 no Brasil

Escrito por Valdemar Medeiros
Publicidade

Os custos crescentes de componentes como baterias e microchips aumentaram o custo médio dos carros elétricos ao nível Brasil e mundo.

O custo médio de comprar um carro elétrico agora é US$ 10.000 a mais do que comprar um veículo movido a gasolina, os legisladores japoneses querem reduzir as metas para veículos com emissão zero e o Hyundai Ioniq 5. 

O custo médio dos carros elétricos está aumentando

Publicidade

Todo mundo sabe que os veículos elétricos são mais caros do que os movidos a combustíveis fosseis. Graças ao aumento da demanda por carros movidos a bateria e aos custos crescentes dos componentes necessários para fabricá-los, muitos fabricantes de elétricos estão aumentando ainda mais os preços de seus carros.

O Wall Street Journal relata que os aumentos de preços de empresas como GM, Tesla e Ford agora significam que o preço médio de um novo EV atingiu US $ 54.000 – cercade US $ 10.000 a mais do que o custo médio de um novo carro movido a gasolina.

Leia: Companhia aérea GOL está com centenas vagas de emprego home office disponíveis

Publicidade

De acordo com o WSJ , os fabricantes de automóveis têm aumentado constantemente os preços de seus veículos elétricos “em parte para compensar o aumento do custo dos materiais usados ​​em suas grandes baterias”. Isso incluiu um aumento no custo de um Hummer EV em mais de US $ 6.000 e um aviso da Ford de que não estava mais lucrando com as vendas de seu Mustang Mach-E. O WSJ relata:

“As empresas dizem que estão tentando compensar um recente aumento de preço das matérias-primas que entram nas baterias para alimentar carros elétricos, de longe o componente mais caro de um EV. Os preços do lítio, níquel e cobalto praticamente dobraram desde antes do início da pandemia de Covid-19, de acordo com a empresa de consultoria AlixPartners LLP.”

Japão quer cortar metas com carros de emissões zero

Enquanto países ao redor do mundo estão visando uma mudança para veículos de emissão zero, como carros elétricos, caminhões movidos a hidrogênio ou outros meios de energia mais limpos, o Japão parece estar se arrastando.

Publicidade

O país, que abriga montadoras como Toyota, Subaru e Honda, supostamente pressionou seus colegas países do G7 para remover metas para veículos de emissão zero de suas metas para combater as mudanças climáticas. Conforme relatado pela Reuters:

“O Japão propôs remover uma referência a uma ‘meta coletiva de pelo menos 50% de veículos com emissão zero até 2030’, de acordo com um rascunho do comunicado revisado pela Reuters.

Aumento dos preços da gasolina não deve mudar o valor dos carros a combustão e nem dos carros elétricos

E não são apenas as metas globais para a adoção de elétricos que podem ter dificuldades para incentivar as pessoas a comprar veículos movidos a bateria, o aumento do preço da gasolina também não está ajudando muito na mudança.

Onde você pode esperar que a média atual de US $5 por galão que moradores estão enfrentando nos EUA possa forçar as pessoas a reconsiderar seus carros para passeios diários. 

O relatório descobriu que, apesar do alto custo de reabastecimento do tanque, os motoristas em todo o país permanecem presos a seus carros. 

Preço da gasolina no mundo; brasileira não está entre as mais caras

De acordo com o levantamento da instituição, realizado no dia 7 de março de 2022, a média de preço preço da gasolina no mundo em 2022 é de US$ 1,29 por litro (1,29 dólar americano, o que equivale, em conversão direta, a R$ 6,51). No Brasil, o valor médio do combustível é de US$ 1,28, que equivale a aproximadamente R$ 6,46: no país, portanto, a gasolina custa menos que a média global.

A média nacional de novembro de 2019 confirma o que já sabíamos: quase metade (44%) do preço gasolina é imposto. A soma do valor dos tributos federais e estaduais é, inclusive, maior que o custo do próprio combustível.

Publicidade
Artigos relacionados