Banco do Brasil se une a agência francesa para liberar milhões de euros para investimentos em energia renovável

Escrito por Valdemar Medeiros
Publicidade

O Banco do Brasil em parceria com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) assinaram nos últimos dias um contrato que viabiliza a liberação de 100 milhões de euros em investimentos, destinados aos projetos de desenvolvedores de energia renovável. Essa parceria entre o Branco do Brasil e a AFD renderão grande incentivo para que esses desenvolvedores de energia renovável tenham mais acesso à recursos essenciais.

Parceria entre Banco do Brasil e empresa francesa AFD aplicará investimentos em desenvolvedores de energia renovável

De acordo com o Banco do Brasil, essa parceria promete ajudar no cumprimento da lista de metas da Agenda 2030, um plano de ação global que possui 17 objetivos de desenvolvimento sustentável e 169 metas de erradicação da pobreza.

Publicidade

Com acordo assinado, o Banco do Brasil poderá expandir sua oferta de empréstimos e crédito destinados à projetos em prol da geração e distribuição de energia renovável, tanto para pessoas físicas quanto para pessoas jurídicas, dentro da categoria varejista, já pelos próximos 10 anos.

A agência francesa também liberou 300 mil euros em investimentos, com intuito de financiar projetos de cooperação técnica.

Investimentos e recursos aplicados no setor de energia renovável

Segundo cálculos feitos pelo Banco do Brasil, os 100 milhões de euros investidos – que equivalem a R$ 555 milhões no câmbio atual – poderão gerar em torno de 3,1 mil novos empregos. Os investimentos do Banco do Brasil junto à AFD evitarão a emissão de pelo menos 113 mil toneladas de gás carbônico por ano.

Publicidade

Leia: Concurso Polícia Penal CE: Autorizado! 600 vagas para 2023!

O Banco do Brasil vem aplicando nos últimos tempos cerca de R$ 300 bilhões em projetos de sustentabilidade ambiental e social. Já em relação ao setor de energia renovável, o Banco do Brasil destina em torno de R$ 10 bilhões, podendo emprestar até R$ 15 bilhões até o ano de 2025.

Além do setor de energia renovável, a parceria entre o Banco do Brasil e a Agência Francesa de Desenvolvimento também visa financiar outros setores

O Banco do Brasil agora pretende ampliar cada vez mais as parcerias com a agência francesa pelos próximos anos.

Publicidade

Em meados de maio deste ano, durante o congresso Mercado Global de Carbono, o Banco do Brasil e a Agência Francesa de Desenvolvimento firmaram um memorando de entendimentos, onde ficaram estabelecidos novas oportunidades de investimentos a estados e municípios, em um breve futuro.

O Banco do Brasil ofertará linhas de crédito para os governos locais, que se concentrarão em projetos voltados a infraestrutura de saneamento, incluindo o tratamento de esgoto e resíduos sólidos, geração e distribuição de energia renovável e eficiência energética, além de transporte limpo, mobilidade urbana, transição da infraestrutura para cidades inteligentes e adaptação a mudanças climáticas, saúde e educação.

Saiba mais sobre o Banco do Brasil e a Agência Francesa de Desenvolvimento

O Banco do Brasil está há 15 anos seguindo as diretrizes orientadas pelo Plano de Sustentabilidade da Agenda 30 BB, um plano estabelecido pela empresa para ser usado como um “instrumento fomentador de negócios e práticas sustentáveis”, segundo a agência.

No ano de 2021, o Banco do Brasil estabeleceu 10 Compromissos de Longo Prazo em sustentabilidade, com metas que precisam ser cumpridas até 2030, visando transformar e inovar na oferta de produtos e serviços, além de transitar para uma economia de baixo carbono.

Já a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) investe em projetos conduzidos por Estados federativos, municípios, estatais e também bancos de desenvolvimento locais, com intuito de melhorar a qualidade de vida social e viabilizar o desenvolvimento de cidades, transformando-as em sustentáveis, resilientes às mudanças climáticas, solidárias e inteligentes. A agência francesa também busca melhorar o acesso a serviços básicos e ampliar o serviço de geração e distribuição de energias renováveis às cidades.

Publicidade
Artigos relacionados