FMI acredita que o Brasil crescerá economicamente durante a guerra na Ucrânia

Por Felipe Souza

O FMI acredita que a guerra na Ucrânia irá frear o crescimento mundial. Porém acredita que o Brasil será favorecido neste cenário, apontando uma maior dependência global das commodities brasileiras.

A crise econômica mundial vem ampliando desde que as sanções contra a Rússia. E intensificaram com a rigidez com que os EUA e aliados da OTAN pressionaram os russos. E esse cenário levou o Fundo Monetário Internacional (FMI) a realizar um grande corte nas projeções do crescimento da economia mundial para o ano de 2022 e anos seguintes. 

Os últimos relatórios apontam uma projeção global em 3,6%. A qual está 0,8 pontos percentuais abaixo do que havia sido previsto em janeiro, portanto, se não fosse pela guerra a previsão seria de 4,4%.

PARA VOCÊ:
Homem acusado de estelionato é preso em festa após denúncia de som alto em Santarém

O FMI utiliza 2 critérios principais em suas projeções. O primeiro deles se relaciona às cotações internacionais dos commodities alimentares e também à energia. O recente aumento de preços gerou um impacto negativo para a maioria dos países, e apenas alguns países terão benefícios nesse cenário. Mas isso não é tudo, o segundo critério afeta tanto quanto o primeiro. E está voltado a logística, a qual também vem sendo prejudicada desde a pandemia, e foi intensificada pela crise geopolítica.

FMI acredita que o Brasil terá vantagens em período de guerra 

Diferentemente dos outros países, o Brasil tende a não se prejudicar pela alta das commodities. Portanto o efeito no Brasil tende a ser o oposto dos outros países. Conforme o FMI o aumento dos preços tende a fortalecer o Brasil, e segundo as estimativas a economia brasileira irá avançar 0,8%. Ficando bem acima das projeções anteriores à guerra que traziam uma estimativa de 0,3%.

PARA VOCÊ:
Dia nacional da prevenção à hipertensão arterial: Programação alusiva em Santarém

Mas apesar do crescimento da nação, ainda haverá o problema da inflação, que continuará afetando a população, principalmente às classes menos favorecidas economicamente. Mas de uma forma geral, o cenário apresenta pontos negativos e positivos. O agronegócio por exemplo, será um dos setores mais favorecidos por este cenário de aumento e valorização das commodities.

Artigos relacionados