Redução na jornada de trabalho semanal tem impacto positivo na produtividade

Redução na jornada de trabalho semanal tem impacto positivo na produtividade Foto: Jornal Cruzeiro do Sul / Reprodução

Vários países têm adotado medidas para a redução na jornada de trabalho semanal, uma mudança que reflete a crescente busca por uma melhor qualidade de vida e bem-estar dos trabalhadores

Publicidade

Em um relatório recentemente divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), observa-se um progresso notável relacionado à redução na jornada de trabalho, o que tem contribuído significativamente para a busca por um melhor equilíbrio entre as responsabilidades profissionais e a vida pessoal em escala mundial.

A pesquisa da OCDE revelou que, em contraste com a América Latina, onde se registram as jornadas de trabalho mais extensas do planeta, outras regiões estão adotando uma abordagem diferente. Notavelmente, os Países Baixos surgem como líderes nesta transformação, implementando a menor jornada de trabalho semanal globalmente, estimada em aproximadamente 30 horas.

Publicidade

Outros países que se destacam por jornadas inferiores a 40 horas incluem:

  • Austrália: 35 horas semanais com quatro semanas de férias remuneradas anualmente.
  • França: Também com 35 horas por semana, normalmente distribuídas de segunda a sexta-feira, e um intervalo de almoço legalmente estipulado.
  • Bélgica: Com carga horária fixada em 35 horas por semana e a opção de um “ano sabático”.

O ranking é completado por Dinamarca, Noruega, Alemanha, Finlândia, Áustria, Islândia, Irlanda e Suíça, todos com jornadas semanais entre 32 e 36 horas.

Um ponto crítico abordado é a relação entre a diminuição da carga horária e a produtividade. A produtividade, um indicador-chave da eficácia do trabalho, não é necessariamente impactada apenas pela redução da jornada. Fatores como educação, saúde, tecnologia e infraestrutura desempenham um papel crucial nesse aspecto.

Publicidade

Contudo, a diminuição das horas de trabalho tem mostrado benefícios significativos para os trabalhadores, contribuindo para a redução do estresse e promovendo um maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. Esse cenário também favorece a responsabilidade social das empresas, especialmente no que tange ao impacto de gênero nas tarefas domésticas.

Exemplos notáveis de sucesso na implementação de jornadas de trabalho reduzidas incluem:

  • Reino Unido: O projeto 4 Day Week Global, que envolveu diversos setores e 3.000 participantes, relatou uma transição bem-sucedida para uma semana de trabalho de quatro dias.
  • Nova Zelândia: A empresa Perpetual Guardian adotou uma semana de trabalho de quatro dias em 2018, resultando em um aumento de 20% na produtividade.
  • Espanha: A Software Delsol tornou-se a primeira empresa no país a implementar uma jornada de trabalho de quatro dias com 36 horas semanais, seguindo o exemplo de outras organizações que mantiveram salários e adicionaram dias de folga.

Essas experiências demonstram que uma semana de trabalho mais curta pode não apenas melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, mas também impulsionar a produtividade e eficiência nas organizações. É um indicativo de que o futuro do trabalho pode estar se inclinando para modelos mais flexíveis e humanizados.

Publicidade

Sobre o Autor

Ana Paula Araújo
Ana Paula Araújo

Ana Paula Araújo escreve diariamente sobre o mercado de trabalho, mantendo os leitores informados sobre vagas de emprego e concursos públicos, especialmente no setor de Óleo e Gás.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *