Notícias

Atualizado em 05/08/2018 às 22h39

Professores são homenageados em Dia Nacional dos Profissionais da Educação


O Dia Nacional dos Profissionais da Educação é comemorado nesta segunda-feira, 6 de agosto, conforme a Lei 13.054/14. Em celebração a data, a titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Mara Belo irá parabenizar os profissionais e colaboradores que atuam na área no espaço escolar e aos que integram o quadro da secretaria. É uma maneira de valorizar e homenagear a estes que contribuem com a formação das novas gerações.

"Que continuemos desenvolvendo as nossas atividades com responsabilidade e o compromisso de sempre, procurando fazer um trabalho com qualidade em benefício da educação e todos os segmentos que integram a rede educacional", pontuou a secretária.

Mara Belo destacou ainda que houve avanços significativos nas últimas décadas na rede municipal de Santarém e que são conquistas dos profissionais da educação, a exemplo do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos servidores, onde as garantias trabalhistas dos funcionários tornaram-se lei. Para a secretária, essa conquista foi de grande relevância tanto aos profissionais da educação quanto a sociedade santarena de modo geral, com o reconhecimento legal dos servidores.

Belo também lembrou que Santarém se destaca em relação a outros lugares em virtude da sua organização sindical, diferenciada pela grande atuação com qualidade dos servidores, dentro do sindicato, onde as demandas são definidas a partir de um diálogo caloroso e comprometido com o social, principalmente, com os destinos da educação em Santarém.

O pedagogo e coordenador escolar quilombola da Semed, Mário Fernando Martins Bentes, disse que os avanços na educação são expressivos, principalmente, em se tratando da inserção das novas tecnologias.
Especificamente sobre a Educação Quilombola Mário afirmou, que em nível nacional tem avançado bastante e, no município de Santarém, não é diferente, haja vista que a Semed tem desenvolvido atividades para atender esse segmento, embora reconheça que as ações ainda sejam incipientes diante a uma demanda crescente.

Mário lembrou também que existe uma legislação que precisa ser efetivada para que seus efeitos sejam vistos "no chão das escolas e nas salas de aula". Segundo Bentes, esse trabalho vem sendo desenvolvido junto aos professores e a outros profissionais que atuam nas escolas, de acordo com as condições oferecidas pela Semed.

Nesse dia especial, Mário disse aos profissionais que atuam com a educação geral e quilombola que não se pode abrir mão da luta em prol da classe, assim como o combate ao racismo e a discriminação. Mas, sobretudo, não se pode deixar de buscar a formação continuada, principalmente, aos professores. "Hoje não há possibilidade do professor atuar sem uma política séria que garanta a sua formação continuada. A cada dia surgem novidades e os nossos alunos aprendem coisas diferentes. Por isso, nós professores, precisamos nos atualizar constantemente", observou.

A mensagem do professor Mário aos profissionais da educação, em especial aos quilombolas, é que "todos continuem a lutar pela valorização profissional e também a valorização da área educacional, voltando-se sempre ao ensino/aprendizado de nossos alunos", concluiu.

A professora Iara Elizabeth Sousa Ferreira, Coordenadora de Educação Escolar Indígena da Semed, em Santarém disse essa homenagem é dedicada a todos os profissionais que atuam nas instruções educacionais municipal, estadual, particular e no ensino superior. "Todos nós que fazemos gestão dentro da educação temos a responsabilidade com a formação do cidadão, ou seja, formar pessoas capazes de contribuir efetivamente com as transformações do atual cenário, que ainda deixa a desejar sobre a valorização do profissional da educação". Além disso, ajudar a construir uma cidadania plena, formada por pessoas que tenham consciência e responsabilidade de sua importânica na construção de uma sociedade diferente.

Elizabeth destacou que ao se falar, especificamente da Educação Escolar Indígena, em relação à educação geral, deve-se ressaltar que se trata de uma educação para povos que tem sua etnoterritorialidade, tradições e a sua história própria e, que tudo isso, constutui saberes, valores e princípios provenientes de suas ancestralidades, uma realidade social que ocorre onde vivem e como vivem e educam seus filhos. "A Educação Escolar Indígena, portanto, vem para valorizar e fortalecer os sentimentos e os saberes culturais que fazem parte da história sedimentada desses povos, e a educação em seu contexto geral precisa valorizar e respeitar toda essa diversidade", advertiu.

Ferreira disse ainda que esses saberes tradicionais, éticos, culturais e etnoterritorritoriais precisam constituir o currículo educacional dos povos indígenas, para que se possa efetivar a legislação que garante o ensino da cultura indígena em todos os espaços educacionais.

A professora Elizabeth finalizou dizendo que hoje, dia 06 de agosto, todos os profissionais que atuam na área da educação de modo geral estão de parabéns e a mensagem é que "nós profissionais possamos, de fato, educar para a cidadania, para o respeito à diversidade e que juntos eduquemos, respeitantando também, as especificidades dentro desse mundo diverso que é o nosso universo educacional", concluiu.

Ednaldo Rodrigues Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação