Notícias

Atualizado em 28/10/2017 às 13h54

Prefeitura ouve demandas ambientais de comunidades da região do Lago Grande


A partir do planejamento, a Semma realizará intervenções de educação ambiental, a fim de prevenir situações
Equipes de fiscalização e educação ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) realizaram atendimentos às comunidades Ajamurí, Itacuminí, Acutireça, Garimpo e Terra Indígena Cobra Grande, ao longo de todo o dia de sexta-feira (27), após solicitação de reunião do órgão ambiental pelos moradores dessas localidades. No encontro, os moradores relataram os problemas ambientais que estão enfrentando.

Pesca predatória por arrastão, desmatamento, queimadas, poluição sonora e presença do gado em área de preservação permanente foram os principais problemas ambientais apresentados durante a reunião.

O vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento Sustentável da Região do Lago Grande, Roberto Marinho, informou que a pressão da pesca na área é constante, mas a partir de agosto, com a vazante do rio, a prática de arrastão se intensifica, principalmente para a captura dos peixes que já se reproduziram e estão saindo do igapó, fazendo a migração.

"Com todas essas práticas, notamos que vem diminuindo a quantidade de peixe. Há dois anos atrás, encontrávamos muitos pirarucus e tucunarés na área do Lago, mas com a saída do peixe da canaranã, onde ele se reproduz, se alimenta, estão fazendo o cerco para pegar quantidades exorbitantes", disse Roberto Marinho.

A presidente da Associação de Moradores da Comunidade de Itacuminí, Corinta Branches, disse que, entre os problemas mais comuns da comunidade, estão as queimadas e a presença do gado em áreas alagadiças que acabam afugentando o pescado.

"Acredito que todas as comunidades, juntamente com os órgãos ambientais, precisam se unir e criar formas de sensibilizar os próprios comunitários sobre os efeitos que esses problemas causam aos nossos comunitários e ao meio ambiente. Essa é a primeira vez que temos a presença da Semma e vejo que agora vamos ter um avanço para resolver essas questões no Lago Grande", destacou Corinta Branches.

Ao longo da reunião, as equipes anotaram as demandar e orientaram as pessoas quanto às medidas necessárias a serem tomadas para a denúncia a todos os órgãos envolvidos com as problemáticas ambientais.

A partir do planejamento, a Semma realizará intervenções de educação ambiental, a fim de prevenir as situações que degradem o meio ambiente em Lago Grande, além de punir e coibir as práticas ilegais que agridam a fauna e a flora.

Júlio C. Guimarães Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação