Notícias

Atualizado em 28/11/2019 às 17h06

Jari do Socorro conta com placas ambientais

Placas ambientais foram entregues nesta manhã (28). Foto-Júlio César Antunes

A comunidade ribeirinha Jarí do Socorro recebeu, nesta quinta-feira (28), placas ambientais que alertam para proibição da pesca predatória. A iniciativa é da Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

Ferramentas vão reforçar o trabalho de combate à pesca ilegal. Foto-Júlio César AntunesAs ferramentas vão reforçar o trabalho voluntário de combate à pesca ilegal no canal daquela região. A comunidade, juntamente com os órgãos competentes tem controlado, mas as sinalizações vão prevenir qualquer ameaça.

“Essa é uma demanda da comunidade, juntamente com o tráfego intenso de embarcações, devido o local ser considerado como rota turística e as placas vão ajudar a orientar”, relatou o vice-presidente da Associação de Moradores da Comunidade Jari do Socorro, Edval Santos.

“O órgão ambiental, em parceria com a comunidade, está atento. Qualquer fato de pesca irregular, os responsáveis serão penalizados com multas e até mesmo prisão”, informou o fiscal da Semma, Wellton Sousa.

Leia também

Liberada licença de operação para novo hiper mercado instalado em Santarém

Mobilização inicia revitalização de jardim da Escola Maria Amália

GT debate regularização ambiental de empreendimentos rurais 

Pesca predatória é crime ambiental. Foto-Júlio César AntunesA Associação de Moradores de Jari do Socorro ainda deve definir os locais estratégicos para instalação das sinalizações pelos próprios comunitários.

Pesca predatória é crime. De acordo com a Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/98, dependendo das circunstâncias, dentre outras punições, o criminoso estará sujeito a multas e apreensão de equipamentos e embarcação.

Denuncie

Conforme à Lei Federal Complementar n° 140/2011 podem atender as demandas de crimes ambientais qualquer um dos seguintes órgãos: 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (1ª Cipam)/Polícia Militar, via NIOP (190); Delegacia de Meio Ambiente (Dema)/Polícia Civil (PC), via 181; Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), pelos fones: (93) 3524-7450/7452/7453; Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), pelo (93) 3522 5452; e Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), via "Linha Verde": 0800 618080.

É a partir da denúncia que qualquer um dos órgãos poderá tomar as providências cabíveis; pois é no ato do registro, diretamente aos órgãos, que o cidadão prestará o máximo de informações para se chegar aos responsáveis pelo crime.

Acompanhe as ações da Prefeitura de Santarém nas redes sociais:
Facebook: https://pt-br.facebook.com/prefeituradesantarem/
Instagram: @prefeituradesantarem
Youtube: Canal da Prefeitura de Santarém

Júlio César Antunes Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação