Notícias

Atualizado em 30/08/2019 às 10h42

Representantes da Bayer conhecem sistemas de monitoramento ambiental em Santarém

A comitiva realiza visita para conferir a realidade socioeconômica e especialmente a expansão da agricultura regional


Representantes da multinacional alemã Bayer conheceram os sistemas de monitoramento ambiental (Foto: Júlio César Antunes)Na tarde desta quinta-feira (29), representantes da multinacional alemã Bayer conheceram os sistemas usados para o monitoramento dos usos das áreas do município. O encontro foi no Centro Municipal de Informação e Educação Ambiental (Ciam) com a presença da secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela, do presidente do grupo no Brasil, Marc Reichardt, do diretor de Assuntos Governamentais e Sustentabilidade, Jaime Oliveira, da gerente de Comunicação, Larissa Battistini, , além da Diretora Adjunta de Desenvolvimento Territorial do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), Lucimar Souza, e diretora regional do Ipam no Baixo Amazonas, Alcilene Cardoso.

A secretária Vânia Portela apresentou a plataforma "De Olho na Floresta" que auxilia no monitoramento da Lista de Desmatamento Ilegal (LDI), ferramenta criada a partir do Decreto Estadual nº 838/2013 que veda a concessão de licenças, autorizações, serviços ou qualquer outro tipo de benefício ou incentivo público por parte dos órgãos e entidades da Administração Pública Estadual aos empreendimentos e atividades situadas em áreas desmatadas ilegalmente no Estado do Pará.A comitiva é formada pelo presidente da Bayer no Brasil, Marc Reichardt, diretor de Assuntos Governamentais e Sustentabilidade, Jaime Oliveira, e pela gerente de Comunicação (Foto: Júlio César Antunes)

"É uma plataforma que usa imagens de satélites em alta resolução, tecnologia que possibilita a constatação exata das áreas degradadas. Assim que constatado, nossa equipe de fiscalização é acionada, faz a verificação no local, realizando a identificação e início do processo administrativo", destacou a secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela.

Constatado o crime, ocorre o embargo e as informações são repassadas à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) que registra a propriedade como área ilegal de desmatamento e o dono é responsabilizado pelas infrações ambientais.A secretária Vânia Portela apresentou a plataforma "De Olho na Floresta" que auxilia no monitoramento da Lista de Desmatamento Ilegal (LDI) (Foto: Júlio César Antunes)

Leia também:

Segundo o diretor de Assuntos Governamentais e Sustentabilidade, Jaime Oliveira, a ideia é conhecer a realidade socioeconômica, como são desenvolvidas as atividades, especialmente a expansão da agricultura e o que ela tem contribuído para o crescimento regional.

"Estamos dialogando com atores do poder público local, Federal, como o Ibama, com produtores, associações, para entender como é a dinâmica de sustentabilidade de toda a região e também conhecer os sistemas de monitoramento da floresta", informou Jaime Oliveira.

Em Santarém, além do de "Olho na Floresta", a Semma conta com o sistema Cadastro Ambiental Rural (CAR) e o Projeto de Estimativa de Desflorestamento da Amazônia (Prodes), disponibilizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)."De Olho na Floresta" é uma ferramenta online de monitoramento e alerta contínuo da Floresta Amazônia (Foto: Júlio César Antunes)


 Acompanhe as ações da Prefeitura de Santarém nas redes sociais:

Facebook: https://pt-br.facebook.com/prefeituradesantarem/
Instagram: @prefeituradesantarem
Youtube: Canal da Prefeitura de Santarém

Júlio César Antunes Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação