Notícias

Atualizado em 21/08/2019 às 20h25

Com mais de 100 leitos, obras do Materno-Infantil serão retomadas nos próximos dias

Após quatro anos paralisadas, as obras do Hospital Materno-Infantil serão, finalmente, retomadas. O novo equipamento será referência ao atendimento de saúde de gestantes e recém-nascidos em Santarém e em toda região Oeste do Pará, com mais de 100 leitos e 30 consultórios. O anúncio foi feito pelo prefeito Nélio Aguiar, que participou do ato de assinatura da Ordem de Serviço, em Belém, junto ao governador do estado, Helder Barbalho.

Após ter recebido apenas um esqueleto e sem recursos para a continuidade das obras, o prefeito Nélio Aguiar buscou parcerias para tentar retomar a obra. Em janeiro deste ano, o prefeito foi a Belém e apresentou à equipe técnica do Governo do Estado, o projeto para a conclusão da obra, paralisada em aproximadamente 40%. 

"Herdamos a obra do Hospital Materno-Infantil paralisada, sem empresa e sem recursos suficientes para a sua conclusão. Em janeiro deste ano, fiz um pedido ao governador para que nos ajudasse a concluir essa obra. Ele prontamente decidiu pela liberação de R$ 25 milhões para concluir a obra e adquirir todos os equipamentos para o Hospital. Só posso agradecer ao governador pela parceria e compromisso com Santarém", explica o prefeito.

Após análises, o governador Helder Barbalho acenou positivamente pela parceria e no mês de março, durante a realização do governo itinerante, anunciou o recurso que seria empenhado para a obra: R$ 25 milhões, para a conclusão da parte física e para compra de equipamentos hospitalares e não-hospitalares.

Obras devem ser retomadas em 10 dias

Após assinar a Ordem de Serviço, o governador Helder Barbalho anunciou que num prazo de 10 dias, as obras devem ser retomadas. "Quero festejar o empenho da prefeitura de Santarém e do prefeito Nélio Aguiar, que procurou o governo do Estado, preocupado em salvar a vida de crianças e de suas mães, demonstrando um grande respeito pelas famílias de Santarém. Resgato um compromisso que firmei com a região, quando disse que nós faríamos, no oeste do Estado, um hospital materno-infantil similar à Santa Casa, de Belém. Isto permitirá que os serviços da região aconteçam aqui, não sendo mais necessário o deslocamento das pessoas para Belém ou para outros estados, para receber os cuidados que aqui estarão sendo ofertados", argumenta o governador.

O documento assinado estabelece um prazo de 10 meses para a conclusão das obras. Com a construção pretende-se realizar atendimentos em obstetrícia, parto, puerpério, neonatologia, pediatria, internação hospitalar, urgência/emergência e Unidade de Terapia Intensiva, diminuindo assim o agravamento dos casos e a mortalidade materna-infantil de Santarém e de 18 municípios da região Oeste do Pará, atendidos pelo Hospital Municipal.

O QUE O HOSPITAL MATERNO INFANTIL DE SANTARÉM VAI DISPONIBILIZAR À POPULAÇÃO?

1 – Atendimento Urgência e Emergência

Emergência Pediatria

Emergência Obstetrícia

2 – Internação

Clínica Obstétrica (30 leitos + 2 isolamentos)

Clínica Pediátrica (50 leitos + 3 isolamentos)

3– Internação Intensiva – U.T.I./U.C.I.

U.T.I. Adulto (10 leitos)

U.T.I. Infantil (6 leitos)

U.T.I.Neonatal (7 berços)

U.C.I. (7 berços)

Mãe Canguru (6 leitos/berços)

4 – Ambulatório

Ambulatório Pediatria

Ambulatório Prematuros

Ambulatório Gestantes de Alto Risco

5 – Apoio Diagnóstico

Laboratóriode Análises Clínicas

Banco de Leite

Raio-X

EEG/ ECG

Eco Cardiograma

Ultrasom

6 – Centro Cirúrgico e Obstétrico

Centro Cirúrgico (3 salas de cirurgia geral e 1 sala de parto cirúrgico)

Agência Transfusional

7 – Centro de Parto Normal 8 PPPs

8 – Apoio Técnico

Serviço de Nutrição Dietética

Central de Esterilização

9 – Apoio Administrativo Administração

10 – Apoio Logístico Lavanderia.

Acompanhe as ações da Prefeitura de Santarém nas redes sociais:
Facebook: https://pt-br.facebook.com/prefeituradesantarem/
Instagram: @prefeituradesantarem
Youtube: Canal da Prefeitura de Santarém

Samuel Alvarenga Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação