Notícias

Atualizado em 22/07/2019 às 17h55

Bairro Santarenzinho recebe ação de educação ambiental contra as queimadas

Os agentes foram de casa em casa levando informações aos moradores sobre os males que a fumaça das queimadas urbanas trazem à saúdeAgentes do Centro Municipal de Informação e Educação Ambiental (Ciam) levaram uma ação de conscientização a respeito dos perigos das queimadas urbanas a moradores da Rua 17 de março, no bairro Santarenzinho, na manhã desta segunda-feira (22). A iniciativa é da Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

Os agentes foram de casa em casa levando informações aos moradores sobre os males que a fumaça das queimadas urbanas trazem à saúde, além de explicar que queimar lixo, folhas ou qualquer material é crime ambiental e, portanto, quem o comete está sujeito à multa e até prisão. Ao final, orientaram sobre como denunciar as queimadas urbanas e outros crimes ambientais, pois somente com a denúncia formalizada os órgãos competentes podem tomar as medidas necessárias.

Saiba mais:

"Alguns moradores daqui não tinham ainda esse conhecimento de que queimar lixo é crime ambiental, nem que era perigoso para os vizinhos por conta da poluição aérea, mas hoje pudemos conscientizá-los sobre isso e agora eles serão agentes multiplicadores de combate a esse crime, ou seja, passarão esse conhecimento adquirido hoje para os vizinhos e amigos e ajudarão assim na diminuição da ocorrência desse crime ambiental", ressaltou a educadora Ambiental Josilene Leão.

Legislação
Conforme o artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais nº 9.605/1998, o infrator poderá responder criminalmente com pena de reclusão de 1 a 4 anos e se o crime for culposo, detenção de 6 meses a 1 ano, além de multa que dependendo do material, conforme o Decreto Federal nº 6.514/2008, art. 61, varia de 5 mil a 50 milhões de reais.

Como denunciar
De acordo com a Lei Federal Complementar nº 140, de 8 de dezembro de 2011, podem atender a demanda a 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (1ª Cipam)/Polícia Militar, via NIOP (190); Delegacia de Combate aos Conflitos Agrários e Meio Ambiente (Deca/Dema)/ Polícia Civil; Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), via Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Para conter o incêndio, o cidadão precisa acionar o Corpo de Bombeiros (193).Os moradores serão agentes multiplicadores que repassarão a conscientização sobre o crime ambiental

É por meio do registro da denúncia que os órgãos competentes vão poder ter ciência do crime ambiental. É quando o cidadão poderá prestar o máximo de informações possíveis e o(s) responsável(is) pelo(s) crime(s) sejam identificados e responsabilizados.

Se possível, é importante o denunciante fazer fotos ou vídeos, assim como identificar nomes e endereços dos envolvidos. Todos esses dados serão fundamentais na apuração do crime ambiental. A identidade do cidadão será mantida em absoluto sigilo.


 

Acompanhe as ações da Prefeitura de Santarém nas redes sociais:
Facebook: https://pt-br.facebook.com/prefeituradesantarem/
Instagram: @prefeituradesantarem
Youtube: Canal da Prefeitura de Santarém

Masih Saldanha Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação