Notícias

Atualizado em 08/03/2019 às 16h40

Semed celebra o Dia Internacional da Mulher destacando o empoderamento feminino


A Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) desde o início de março vem trabalhando em sua sede em Santarém e na rede municipal o empoderamento feminino. As atividades iniciaram dia 1º quando foi realizada uma mobilização a fim de envolver todas as unidades escolares, educação infantil, Escola do Parque e a Escola de Artes para discutir o tema. Demais atividades estão programadas para trabalhar a autonomia feminina o ano inteiro.

De acordo com a secretária de Educação Mara Belo, não se trata de confronto pela luta de espaço, mas uma soma de forças em torno da igualdade entre os seres humanos, para que se fortaleça o direito e o respeito entre homens e mulheres contribuindo para que as pessoas sejam realmente mais felizes.

A coordenadora do projeto que trata da importância e do papel de mulheres que fizeram a diferença nas artes, no esporte, na ciência, na política e na educação, professora Jéssica Ninas, disse que foi apenas o início das atividades. Segundo ela, existe uma obrigação legal de realizar esse debate a cada mês de março. A proposta é resgatar a importância das mulheres do passado que transformaram a história enfrentando desafios e preconceitos. Para Jéssica, nesse aspecto a escola é o ambiente propício para debater assuntos que podem contribuir com a transformação da sociedade em curto prazo. "Esse foi o início de um projeto que vai trabalhar pela disseminação da equidade e do respeito à mulher em ambientes ainda bem desiguais."

A professora Mara Nicolau tratou sobre o empoderamento da mulher no esporte. Segundo ela, as mulheres conquistaram espaços significativos no Brasil e no mundo. "Elas foram inseridas até mesmo em modalidades esportivas de luta corporal, que até então eram praticadas apenas por homens, como o MMA, Box, Muay Thai e outras competições de combates diretos", argumentou.

Nicolau lembrou que a mulher também está presente no futebol de campo, salão, areia e nas grandes maratonas, como São Silvestre que é uma das mais importantes do mundo. "Mas a mulher também participa das corridas amadoras em busca de saúde e de melhor qualidade de vida, cuida dos filhos e da família e ainda trabalha fora", observou.

A professora Gerusa Vidal conduziu a programação sobre a mulher na Ciência e na Política. Na ciência, segundo ela, a história nos mostra que a mulher teve de superar grandes desafios, preconceitos e provar a sua capacidade. Com isso, trouxe grandes contribuições científicas, principalmente no campo da educação. Gerusa disse que no passado a luta da mulher foi individualizada, solitária, pois houve um caso de uma mulher que para se tornar cientista teve que se passar por homem a vida inteira e hoje, no entanto, a luta é mais coletiva, mais socializada, comum e natural.Na política, Gerusa Vidal afirmou que a história mostra a participação da mulher na política brasileira. Trata-se de Alzira Soriano, eleita a primeira prefeita da cidade de Lages, no Rio Grande do Norte, em 1928. Em pouco mais de 70 anos já se registram cerca de 600 prefeitas no Brasil, um número ainda pouco expressivo levando-se em consideração que no país há 5.570 municípios. A professora citou ainda sobre a primeira prefeita em Santarém, Violeta Sirotheau que assumiu o cargo em 1935, momento em que o esposo Santino Sirotheau não podia exercer a função.

A professora Socorro Bendelack, representante da Escola de Artes Emir Bemerguy destacou o empoderamento da mulher na arte local. Por meio de um resgate histórico enfatizou nomes de mulheres, que segundo ela, passam despercebidas, embora tenham sido muito importantes, a exemplo das irmãs Raquel e Gioconda Peluso e as irmãs Íris e Renê Fona, na música. No Folclore e no carnaval destacou Léa Aflalo, Helena Bezerra, Romana Leal, Terezinha Sussuarana, Eliete Barbosa e, por último, Ruth Santos como cantora de auditório e a primeira radialista da cidade.

Bendelack disse que na atualidade, o preconceito já reduziu consideravelmente e Santarém conta com grandes nomes na música, a exemplo de Maria Lídia, Cristina Caetano, Priscila Castro entre outras mulheres brilhantes que atuam em diversas áreas da cultura.

O professor Moisés Ricardo falou sobre o empoderamento da mulher na história. Segundo ele, são mulheres guerreiras e imprescindíveis a sociedade e as conquistas do dia a dia. O professor disse ainda que a programação buscou reconhecer a importância das mulheres na contemporaneidade, mas especificamente na educação, família e na construção de um mundo melhor, mais justo e equitativo. "Em nosso setor de trabalho predomina a harmonia e o respeito entre homens e mulheres. Elas nos ajudam a entender mais a complexidade do mundo mulher", concluiu.

Ao final da programação, a secretária Mara Belo parabenizou todas as mulheres que integram a rede municipal de ensino de Santarém e disse que diante de tudo que foi apresentado desde o dia 1º de março, sobre o empoderamento feminino na Semed e nas escolas, as mulheres realmente fizeram e continuam fazendo a diferença nas artes, no esporte, na ciência, na política e na educação, principalmente.

Leia também:

Ednaldo Rodrigues Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação