Notícias

Atualizado em 01/03/2019 às 19h51

Crianças da etnia Warao são inseridas na rede municipal de ensino


Acolher de forma intersetorial. Este é o propósito da Prefeitura de Santarém desde que o município passou a receber os imigrantes venezuelanos da etnia Warao. Nesta sexta-feira, 1º de março, mais uma etapa de inserção foi concluída com a introdução de trinta e sete crianças e adolescentes na Escola Municipal Eloína Colares e Silva. O início das atividades escolares foi supervisionado pelo prefeito Nélio Aguiar.

A inserção é fruto do trabalho integrado da Prefeitura com suas Secretarias, que desde setembro de 2017, acolhe, presta assistência e promove a inclusão produtiva desse povo, por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtras), através da Casa de Acolhimento para Adultos e Famílias (Caaf). Atividades educacionais foram desenvolvidas com as crianças pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), em preparação ao momento de entrada nas escolas. Os adultos também estão sendo preparados para aprender a língua portuguesa. Além disso, a Semtras dispõe de uma equipe de cuidadores, educadores sociais, pedagogos, psicólogos, assistentes sociais, estrutura física, alimentação, higiene e assistência médica em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

"Santarém acolhe e atende os imigrantes venezuelanos da etnia Warao ofertando os serviços da Assistência Social, Saúde e Educação. Consolidamos esse atendimento com a inserção de 37 crianças na rede de ensino regular do município. Trata-se de uma orientação de toda a rede de proteção para que haja essa inserção, pois essas crianças deixarão de estar nas ruas e estarão aprendendo em uma sala de aula", afirmou a secretária de Assistência Social Celsa Brito.

"Para nós foi um grande avanço. Trabalhamos com esse grupo com atividades lúdicas dentro do Caaf e esse era o nosso principal objetivo. Esperamos que eles possam se desenvolver sua autonomia e adquirir aprendizado, sem perder sua identidade cultural com a linguagem Warao", afirmou a coordenadora da Casa de Acolhimento para Adultos e Famílias (Caaf) Juliana Fialho.

Sobre a população da etnia Warao
Os índios Warao ou "Povo da Água" são refugiados da Venezuela. Eles começaram a migrar em grupos para várias cidades do Brasil com a intenção de fugir da crise em seu país. A situação na Venezuela provocou uma forte onda migratória para os países vizinhos da América Latina, principalmente o Brasil que oferece proteção a cidadãos que sejam alvo de perseguições em seus países de origem por motivos, religiosos, raciais, de nacionalidade, grupo social ou posicionamento político, ou que estejam sujeitos a violações graves dos direitos humanos.

O município de Santarém foi surpreendido com a chegada dos refugiados no dia 28 de setembro de 2017, quando um grupo formado por 30 indígenas desembarcou na cidade. De acordo com levantamento da Semtras, mais de 250 venezuelanos refugiados já passaram por Santarém.

Leia também:



Colaborou Ednaldo Rodrigues e Geisa de Oliveira
Alanda Matos Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação