Notícias

Atualizado em 19/02/2019 às 15h38

Com 16,7 mil atendimentos em 2018, Samu vive a rotina de salvar vidas em Santarém


Desde os primeiros dias de 2019 até esta segunda-feira (18), o Samu já realizou 1.530 atendimentos
Um minuto pode ser decisivo para salvar uma vida. É com essa premissa que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atua em Santarém todos os dias, correndo contra o tempo e diminuindo a resposta entre o primeiro atendimento até que o paciente seja encaminhado a uma Unidade de Saúde. A Prefeitura de Santarém é gestora do Serviço por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Em 2018, foram 16.776 ocorrências atendidas. Uma rotina de salvar vidas.

Principais chamadas para o 192 envolvem acidentes de trânsito.Dados da Semsa apontam que desde os primeiros dias de 2019 até esta segunda-feira (18), o Samu já realizou 1.530 atendimentos. Em 2018, o Serviço atendeu 16.776 ocorrências, mais que o dobro de ocorrências atendidas nos anos de 2016 e 2017, que foram 8.083 e 7.416, respectivamente.

De acordo com o coordenador do Samu em Santarém, enfermeiro Joziel Colares, as principais chamadas para o 192 são relacionadas aos acidentes de trânsito, envolvendo motocicletas e/ou envolvendo carros e motocicletas. Em 2016, eles foram responsáveis por 1.447 dos atendimentos. Em 2017, foram 1.307 atendimentos e em 2018 foram 895 chamadas para atender pacientes vítimas de acidentes de trânsito. Até esta segunda-feira (18), o Samu já atendeu 133 ocorrências de acidentes de trânsito e mais 14 atropelamentos.

A Prefeitura disponibiliza uma Unidade de Suporte Básico (USB) e uma Unidade de Suporte Avançado (USA) para atendimentosA Prefeitura de Santarém, por meio do Samu, ligado a Semsa, disponibiliza uma Unidade de Suporte Básico (USB) e uma Unidade de Suporte Avançado (USA) para atendimentos, que são as ambulâncias. Além de uma moto para atender de maneira rápida e eficiente as ocorrências no município. As USB são compostas por dois técnicos de enfermagem e um condutor socorrista. Já as USA são compostas por um médico com formação em urgência e emergência, um enfermeiro e o condutor socorrista. A motolância, como é chamada a motocicleta do Samu, é tripulada por dois socorristas e está inserida num contexto em que se busca a excelência do atendimento, já que o tempo de resposta é menor.

Atendimento 192

O Samu realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar seja residências, locais de trabalho ou vias públicasO Samu/192 é um programa que tem como finalidade prestar o socorro à população em casos de emergência. Por meio dele, o número de óbitos está reduzindo, o tempo de internação em hospitais e as sequelas decorrentes da falta de socorro precoce. O serviço funciona 24 horas com equipe de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas, que atendem às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental da população.

O Samu realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar seja residências, locais de trabalho ou vias públicas. O atendimento começa pela ligação feita para o número 192 e passa por três etapas: o recebimento da chamada, a triagem do caso e o direcionamento para um médico que avalia a demanda, orienta e conclui a necessidade ou não do envio da ambulância. O procedimento é rápido e do primeiro atendimento até o envio da ambulância, as ligações duram em média de três a cinco minutos.

Preferência de passagem

″Quando ouvirem a sirene, os demais condutores devem liberar espaço à direita para a unidade passar″, informa o coordenador do Samu em Santarém.Para chegar em tempo hábil ao local da ocorrência, as ambulâncias do Samu precisam se deslocar pelas ruas da cidade com a máxima rapidez. Para isso, necessitam da colaboração dos outros condutores. "A nossa recomendação é de que os demais condutores tenham a consciência de que quando ouvirem a sirene das ambulâncias liberem espaço à direita, para que a unidade possa passar. É importante lembrar de que no local da ocorrência tem sempre um ser humano, uma vida a ser salva que pode ser inclusive um parente seu e a ambulância tem essa prioridade", explica Joziel Colares.

Projeto "Samuzinho" de combate aos trotes

Os trotes continuam sendo um problema para o atendimento pelo 192, afirma o coordenador do Samu. Pensando nisso Joziel elaborou o projeto "Samuzinho". A ideia é firmar parceria com o Núcleo Integrado de Operações (Niop) em Santarém para realizar palestras educativas junto às crianças e adolescentes nas escolas. "Tanto o Samu quanto o Niop recebem trotes diariamente. Então, através do projeto vamos trabalhar a conscientização dos alunos para que possamos conscientizá-los e fazer essas informações chegarem até os pais e demais familiares. Vale lembrar que no momento em que deslocamos uma ambulância atendendo a um trote, uma pessoa que está realmente necessitando pode estar morrendo por falta desse atendimento", pontuou.

O projeto "Samuzinho" será iniciado nas escolas da rede pública municipal de ensino tão logo iniciem as atividades letivas de 2019. Mas, de acordo com Joziel Colares qualquer escola das redes pública ou particular podem solicitar as palestras da equipe do Samu, através de ofício.

Em que situações o Samu deve ser chamado?

- Na ocorrência de problemas cardiorrespiratórios (infarto, asma grave, enfisema grave) e cardiovascular-AVC;
- Em casos de intoxicação exógena;
- Em caso de queimaduras graves;
- Na ocorrência de maus tratos;
- Em trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe e do feto;
- Em casos de tentativa de suicídio;
- Quando houver acidentes/trauma com vítimas/atropelamento/ferimentos/ por arma de fogo e arma branca;
- Em casos de afogamento;
- Em casos de choque elétrico;
- Em acidentes com produtos perigosos;
- Na transferência inter-hospitalar de doentes com risco de morte;
- Urgências psiquiátricas.

O Samu/192 é um serviço de urgência e emergência, não pode ser chamado em situações clínicas que não sejam urgentes. Portanto, a Semsa adverte que ligações para o 192 só devem ser feitas em situações de absoluta necessidade emergencial, ou seja, quando houver risco de morte.

Leia também:

Dayse Lima Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação