Notícias

Atualizado em 30/01/2019 às 11h17

Primeira reunião do ano do GGI/DRS apresenta experiências ligadas à inovação e tecnologia


A empresa ’Siga Bem’ inserida no PEIEX atua no setor de embalagens, produto de sabonetes e mangueirasO Grupo de Gestão Integrada para o Desenvolvimento Regional Sustentável (GGI/DRS), coordenado pela Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Teconologia (Semdec) e apoio de instituições, entidades e membros da sociedade civil organizada realizou nesta terça-feira (29) a primeira reunião do ano de 2019, com a apresentação do painel de inovação e tecnologia e abordagem de temas envolvendo ecossistemas de inovação de Santarém, programa de qualificação para exportação (PEIEX) e apresentação de empresas.

A técnica Kelly Adriana Silva apresenta novas oportunidades para as empresas através do Programa de QualificaçãoNesta primeira reunião do ano de 2019 foram demonstradas experiências inovadoras no quesito empreendedorismo, a partir de um cenário inovador. São empresas que atuam em diferentes setores: da alimentação - utilizando como matéria-prima frutos orgânicos - à produção de sabonetes.

De acordo com o professor da Universidade Federal do Oeste do Pará, Roberto Branco Filho, um grupo qualificado de atores está imbuído de criar o ambiente propício para um ecossistema de inovação em Santarém. "São atores institucionais, como o Sebrae; empresariais; públicos, como a Prefeitura de Santarém ou o Governo do Estado, de conhecimento, a exemplo da Ufopa, de habitats de inovação e da sociedade civil organizada", informa o docente.

Segundo Roberto Branco Filho, para um ecossistema ser criado é necessário, primeiramente, mapear as necessidades dos atores envolvidos. "A metodologia permite que, de forma colaborativa, haja a identificação dos atores e ações realizadas pelas organizações e suas necessidades. A tomada de decisão é realizada a partir do entendimento dos atores, tendo à vista o alinhamento de percepções, feedback, entre outros fatores", completa.

Portfólio da empresa Deveras Amazônia, especializada na produção de geleiasIncentivo à exportação

Um dos temas discutidos no painel foi o incentivo às empresas de Santarém para destinação de seus produtos ao mercado externo, desenvolvido por meio do Programa de Qualificação para Exportação oferecido pela APEX-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).Em Santarém e região Oeste do Pará, o programa é gerido pela técnica Kelly Adriana Silva, que já tem em seu portfólio 25 empresas de Santarém em processo de qualificação.

"O PEIEX [Programa de Qualificação para Exportação] vem para qualificar empresas, preparando-as para a exportação. No estado do Pará, nós temos atuação em Belém, Marabá e Santarém, que vai completar um ano. Trabalhamos a gestão, formação de preços, logística e transporte. Nosso objetivo é preparar a empresa para que ela ganhe mercado", explica a técnica do PEIEX em Santarém, Kelly Adriana Silva.

Prefeito de Santarém Nélio Aguiar faz explanação sobre a evolução da geração de empregosO programa é desenvolvido em todas as regiões do país, por meio de instituições de ensino (Universidades, Parques Tecnológicos ou Fundações de Amparo à Pesquisa) ou Federações de Indústria. São os parceiros da Apex-Brasil, que aplicam a metodologia do PEIEX na qualificação de empresas. Ou seja, profissionais especialistas em comércio exterior orientam os empresários nos caminhos mais adequados para o mercado externo.

O atendimento do PEIEX é feito com base em visitas às empresas: a 1ª visita tem o objetivo de medir o potencial exportador; a 2ª visita é a ocasião em que o técnico do PEIEX faz um diagnóstico do negócio para identificar o nível de prontidão da empresa para a exportação. Com base nas informações levantadas, é elaborado um plano de trabalho com a implantação de requisitos necessários à exportação. A empresa não precisa pagar pelo atendimento, mas deve estar disposta a dedicar tempo e investimento próprio para completar o processo.

Ao final do atendimento, que dura aproximadamente 38 horas, a empresa recebe um plano de exportação para orientar a sua inserção internacional. (informação extraída do site da Apex-Brasil).

Professor Roberto Branco Filho fala sobre o mapeamento de ecossistemas de inovaçãoFazendo parte do portfólio de empresas que já estão sendo qualificadas para o comércio exterior, foram apresentadas as experiências da Deveras Amazônia, empresa do segmento de alimentação, especializada na produção de geleias. Ela estimula o consumo consciente, associa práticas sustentáveis à produção e busca matéria-prima – frutos orgânicos da agricultura familiar – em municípios como: Santarém, Belterra, Mojuí dos Campos, Castanhal e Uruará.

Outra empresa é a Siga Bem, especializada na produção de etiquetas autoadesivas, sabonetes, mangueiras, entre outros produtos.

Avaliação positiva

A avaliação da primeira reunião do ano foi considerada positiva pela coordenadora do GGI e servidora da Semdec, Rosemary Fonseca. De acordo com a coordenadora, o painel criado foi de extrema importância, porque trouxe ao público ações concretas que já vem sendo realizadas em Santarém na área de inovação e tecnologia.

"Esse painel demonstra que nós temos os nossos produtos, nossos recursos naturais, a nossa biodiversidade e não estamos tendo tanto aproveitamento juntando o que a nossa universidade tem de conhecimento para a nossa iniciativa privada, agricultura familiar, para as nossas cadeias produtivas como um todo. Hoje nós juntamos os principais atores para saber o que cada um precisa para poder nos desenvolver mais", argumenta a coordenadora.

O prefeito Nélio Aguiar, que esteve presente à primeira reunião, destacou o cenário econômico em relação à geração de empregos e a busca pelo equilíbrio fiscal, por parte da gestão pública municipal.

De acordo com os dados apresentados houve variação positiva de 28% no ano de 2018, comparado com o ano de 2017, em relação à geração de empregos. Em 2017, o município gerou 652 empregos formais. Já em 2018 foram criados 835 postos de trabalho.

Os setores de comércio – com 3.799 admissões contra 3.752 desligamentos - e serviços – com 4.172 admissões contra 3.131 desligamentos - alavancaram o crescimento. Ainda de acordo com os dados, nos dois primeiros anos da atual gestão, Santarém conseguiu sair do "vermelho" já que em 2015 e 2016 apresentou saldo negativo neste quesito.

"Apresentamos resultados bastante positivos, nós tivemos um momento de recuperação de empregos em Santarém nos números apresentados pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Continuamos também trabalhando para buscar o equilíbrio fiscal de nossa gestão. Estamos cortando despesas e um corte necessário, que não é muito fácil de fazer, é justamente o corte de gasto com pessoal. Em 2018, tivemos uma economia de aproximadamente R$ 22 milhões, em comparação com 2017. Nós já reduzimos de 11.500 para aproximadamente 10.280 servidores. Ou seja, uma redução de mais de mil servidores, para enxugar um pouco a máquina para sobrar mais recursos, tanto para o custeio, quanto para investimentos", pondera o prefeito Nélio Aguiar.

Samuel Alvarenga Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação