Notícias

Atualizado em 30/10/2018 às 9h51

Prefeitura de Santarém é representada em Seminário Íbero-Americano em São Paulo


A Coordenadora da Casa de Acolhimento para Adultos e Famílias (CAAF) Juliana Fialho e a Coordenadora do Centro POP Dom Linno Vombommel Glaucya Fiori representaram Santarém no Seminário Ibero-Americano "Proteção aos direitos de Venezuelanas e Venezuelanos – por uma acolhida humanitária na América Latina" que foi realizado em São Paulo nos dias 23 e 24 de outubro.

O evento foi organizado ESMPU, Procuradoria Federal dos Direitos dos Cidadãos (PFDC), Federação Iberoamericana de Ombudsman (FIO) e Projeto Regional de Fortalecimento dos Membros da Federação Ibero-Americana do Ombusdsman da Agência de Cooperação Alemã (PROFIO/GIZ), em parceria com a Rede de capacitação dos atores envolvidos no acolhimento, integração e interiorização de refugiados e migrantes no Brasil.

O Seminário reuniu representantes de Defensorías Del Pueblo de oito países (Colômbia, Chile, Equador, Espanha, Bolívia, Argentina, Peru e México), de agências internacionais, como o ACNUR, organizações nacionais e da sociedade civil. O encontro foi para reforçar a necessidade de acolhida humanitária de migrantes e refugiados venezuelanos.

Entre os dias 25 e 27 de outubro, foram realizadas também em São Paulo (SP) 16 oficinas do projeto "Atuação em rede: capacitação dos atores envolvidos no acolhimento, na integração e na interiorização de refugiados e migrantes no Brasil".

Cerca de 300 pessoas receberam treinamento sobre questões relacionadas à temática, como garantia de direitos; acesso a serviços públicos; empoderamento da sociedade civil; fortalecimento da política municipal para imigrantes; Lei de Migração (Lei n. 13.445/2017); Lei do Refúgio (Lei n. 9.474/1997); combate à xenofobia; interculturalidade e integração; empregabilidade e geração de renda; e enfrentamento ao trabalho escravo.

As oficinas foram realizadas na Procuradoria da República em São Paulo (PR/SP), com o apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo (SMDHC).

Para o procurador-chefe da PR/SP, Thiago Lacerda Nobre, essa iniciativa, realizada em parceria com outros órgãos, é o caminho mais eficiente para fazer com que o país cumpra com seus preceitos constitucionais de direitos humanos, acolhimento e convivência pacífica. "Socialmente, esse é um debate importantíssimo e que precisa ser realizado urgentemente. As pessoas que migram de seu país não vêm a passeio, mas sim fugindo de uma realidade desfavorável e procurando por uma oportunidade de recomeçar. Temos de contribuir para ajudar a integrá-las em nossa cultura e nossos costumes", observou.

Para a coordenadora do Centro POP Dom Linno Vombommel Glaucya Fiori foi muito importante a participação no Seminário e nas oficinas, pois o município também vem acolhendo desde 28 de setembro de 2017 refugiados venezuelanos da etnia Warao, além do Centro POP estar recebendo cada vez mais um número maior de venezuelanos civis. "Foram dias proveitosos e tenho muita gratidão pela Secretária Municipal de Trabalho e Assistência Social, Celsa Brito, por nos ter dado a oportunidade de participar do Simpósio e das Oficinas para adquirirmos conhecimentos para continuar o nosso trabalho no município" enfatizou a coordenadora.

"Nós que fomos surpreendidos com a chegada dos refugiados Venezuelanos indígenas da etnia Warao desde ano passado percebemos que estamos vencendo, até mesmo sendo exemplo de acolhimento para outros estados e municípios. Participar do Seminário com os grandes atores envolvidos no acolhimento, integração e interiorização de refugiados e migrantes no Brasil foi extremamente importante. Podemos nas oficinas levar um pouco de nossa vivência no município e podemos perceber que estamos acertando, cada dia avançando nesse acolhimento, foi momento de muito aprendizado", observou Juliana Fialho, coordenadora da Casa de Acolhimento para Adultos e Famílias (CAAF).

Glaucya Fiori contou também que teve a oportunidade de conhecer o trabalho realizado pelo Centro POP de São Paulo que fica dentro da Cracolândia e acompanhou um pouco sobre o trabalho realizado no local pela equipe técnica que realiza apenas atendimento e encaminhamento. "Foi uma ótima experiência e percebemos o quanto estamos fazendo no Centro Pop de Santarém", destacou a coordenadora do Centro.

O Centro POP Dom Lino Vombommel está atendendo 9 imigrantes sendo 8 venezuelanos e um Colombiano. A média diária é de 6 a 7 Venezuelanos e colombianos por dia.

A Casa de Acolhimento para Adultos e Família (CAAF) está acolhendo 91 Venezuelanos da etnia Warao.

Geisa de Oliveira Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação