Notícias

Atualizado em 24/08/2018 às 19h46

Atraso na entrega de vacinas prejudica imunização em Santarém


O último lote da vacina contra a meningite que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) da Prefeitura de Santarém recebeu foi no mês de junho, quando a Secretaria de Estado da Saúde do Pará (Sespa) enviou apenas 600 doses, o que é insuficiente para suprir a demanda no município. A vacina faz parte do calendário de vacinação infantil e a 1ª dose deve ser tomada aos 3 meses de vida.

Em nota publicada em julho, o Ministério da Saúde afirmou que a falta da vacina meningocócica estava acontecendo em todo o território nacional e o problema estava ocorrendo porque a empresa que produz as vacinas, a Fundação Ezequiel Dias, estava atrasando as entregas. A previsão era de que a situação fosse normalizada este mês, mas até o momento a Sespa, que é a responsável em abastecer o município, não enviou mais nenhum lote da vacina.

A Falta da vacina tem gerado transtornos nas unidades básicas de saúde (UBS) de Santarém, pois em nenhuma das 71 UBS´s do município possuem doses em estoque. Em uma clínica particular da cidade, a dose custa em média R$ 490. Além da vacina contra a meningite, a Sespa tem repassado doses reduzidas de outras vacinas importantes, como a penta valente e a BCG.

Sobre a meningite

A meningite é uma inflamação nas meninges, membranas que envolvem parte do cérebro. A doença pode ser causada por vírus, fungos ou bactérias - sendo a bacteriana a mais grave. Ela pode causar paralisia, perda de audição e epilepsia, entre outros problemas.

Angela Miranda Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação