Notícias

Atualizado em 30/07/2018 às 11h33

Suspeita de malária leva Agentes de Saúde à Vila Gorete

Foto: Divulgação
Ampliar imagem

A malária volta a preocupar na região. A suspeita da doença na comunidade de Vila Gorete no Rio Arapiuns, fez com que uma equipe da Divisão de Vigilância em Saúde (Divisa) juntamente com agentes da Funasa se deslocassem até a comunidade nesta segunda-feira (30).

Três casos de malária foram registrados em Vila Gorete, as equipes vão permanecer na comunidade por uma semana, para descobrir como a doença surgiu naquela região, realizar testes em mais pessoas e fazer inquérito canino, ou seja, coletar sangue dos animais para verificar doenças. 

“Todas as medidas estão sendo tomadas para que a doença não se propague. Nossas equipes juntamente com os agentes da Funasa estão preparadas para combater e orientar a população sobre a doença,” ressaltou João Alberto Coelho da Divisa.

Malária

Malária é uma doença infecciosa febril aguda transmitida pela picada da fêmea do mosquito Anopheles, infectada por Plasmodium.

A fêmea do mosquito da malária gosta de botar ovos em águas paradas, profundas e especialmente na sombra projetada nas margens. As larvas se desenvolvem, os mosquitos saem, e as fêmeas vão picar as pessoas nas casas. Ela não tem malária e pica porque precisa de sangue para completar o ciclo biológico.

A fêmea do mosquito só adquire a malária ao picar uma pessoa com o parasita no sangue. Ela se infecta e transmite a doença para todos que picar no futuro.

Sintomas

Os sintomas mais comuns são: calafrios, febre alta (no início contínua e depois com frequência de três em três dias), dores de cabeça e musculares, taquicardia, aumento do baço e, por vezes, delírios. No caso de infecção por P. falciparum, também existe uma chance em dez de se desenvolver o que se chama de malária cerebral, responsável por cerca de 80% dos casos letais da doença. Além dos sintomas correntes, aparece ligeira rigidez na nuca, perturbações sensoriais, desorientação, sonolência ou excitação, convulsões, vômitos e dores de cabeça, podendo o paciente chegar ao coma.

Tratamento da doença 

A decisão de como tratar o paciente com malária deve estar de acordo com o Manual de Terapêutica da Malária, editado pelo Ministério da Saúde, e ser orientada pelos seguintes aspectos:
• Espécie de plasmódio - dependendo da espécie de plasmódio o paciente vai receber um tipo de tratamento
• Gravidade da doença - pela necessidade de drogas injetáveis de ação mais rápida sobre os parasitos, visando reduzir a letalidade.

Prevenção
Medidas de prevenção individual: uso de mosquiteiros impregnados ou não com inseticidas, roupas que protejam pernas e braços, telas em portas e janelas, uso de repelentes.

Medidas de prevenção coletiva: drenagem, pequenas obras de saneamento para eliminação de criadouros do vetor, aterro, limpeza das margens dos criadouros, modificação do fluxo da água, controle da vegetação aquática, melhoramento da moradia e das condições de trabalho, uso racional da terra.

Importante
Procure sempre a ajuda de um profissional da saúde ou um hospital.


Saiba Mais:

 

Angela Miranda Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação