Notícias

Atualizado em 20/06/2018 às 11h29

Pe. Sidney Canto e Marreta recebem a Medalha Mérito Cultural Maestro Wilson Fonseca no Cristo Rei


Na noite desta terça-feira (19), o Cristo Rei – Centro de Artesanato Tapajós recebeu uma das mais importantes programações do Aniversário de Santarém, a comendas que evidenciou a História e Música Santarena, por meio da entrega da "Medalha Mérito Cultural "Maestro Wilson Fonseca", promovido pelo Conselho da Mulher Empresária da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces), em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo (Semtur), da Prefeitura de Santarém. (Confira a programação completa do Aniversário de Santarém)

Na presença de personalidades ilustres da cultura santarena, como Ivone e Odilson Matos, Taré, Ednaldo Mota e representantes de Instituições Públicas e Privadas, foram condecorados Antônio Liboa Paixão (Marreta da Banda Tapajoara), que recebeu a medalha, representando a música da região e Padre Sidney Canto (Historiador) recebeu a comenda como exímio pesquisador de Santarém e cidades do Baixo Amazonas.

De acordo com a presidente do Conselho da Mulher Empresária da Aces, Helena Santana, a comenda é um grande momento para a valorização dos agentes culturais que promovem e difundem a cultura local. "Foi uma honra promover essa solenidade, que valoriza a cultura local, e neste ano nós concedemos a Medalha Mérito Cultural Wilson Fonseca a dois artistas locais, que é o músico Antônio Paixão, o Marreta e Historiador, Padre Sidney Canto, que são de grande importância para cultura regional", explicou.

Para o secretário de Turismo, Diego Pinho, participar de um momento como este é possibilitar que as gerações futuras possam conhecer e reconhecer o esforço que nossos produtores culturais fazem para manter viva nossa história e tradição. "O Governo Municipal se sente muito feliz em participar de um momento como este, que valoriza a história e a cultura do nosso povo. Tanto o Marreta, quanto o Padre Sidney Canto desenvolvem um trabalho importante para que as nossas gerações futuras possam ter acesso a todo esse legado de história e cultura que os nosso agentes culturais constroem com o seu trabalho", destacou.

Padre Sidney Canto recordou de como iniciou seu interesse em se aprofundar em assuntos históricos de Santarém. "O meu interesse pela história de nossa cidade inciou deste a minha adolescência, por volta dos meus 14 e 15 anos, com incentivo de professores e amigos. Na época o convívio com o coral de Santarém, tendo oportunidade de conviver com o Maestro Wilson Fonseca (Isoca), Maestro Wilde Fonseca (Dororó), Emir Bemerguy e com outros nomes da cultura local. Com essa convivência criando gosto pela história da cultura local e no decorrer dessa jornada tem me levado a pesquisar ainda mais, sobre a história da nossa região. E esse reconhecimento que o Conselho da Muller Empresária possibilita, por meio dessa comenda, nos ajuda a nos dedicar ainda mais para fazer o melhor para a nossa cultura".

Antônio Paixão, mais conhecido como Marreta, um dos grandes precursores da música popular santarena destacou a satisfação pelo reconhecimento de seu trabalhos desenvolvidos pela cultura musical santarena. "Fiquei muito feliz com essa homenagem que me fizeram, passou um filme na minha cabeça. Tudo começou nessa casa aqui no Cristo Rei, 19 de abril de 1977. Nada mais justo, este momento, por tudo o que venho feito pela cultura santarena, o carnaval, as fanfarras, as pessoas sabem que amo essa terra. Santarém é abençoada e sou muito feliz por ser santareno. As pessoas tem que valorizar a cultura, nossa música, nossos escritores e nosso artesanato, tem que ter incentivo para não deixar morrer, Santarém é um celeiro de muitos artistas e este momento é importante para que isso não aconteça", enfatizou.

Sobre os Artistas
Antônio Paixão – músico desde os 16 anos, o jovem artista começou atuando como baterista em diferentes grupos musicais. Em 1967, acompanhado de seus amigos formou a primeira banda chamada de "The Big Boys". O grupo musical ganhou destaque nos eventos da cidade e, ao ser convidado para uma apresentação que exaltava a cultura tapajônica, passou a ser chamado de Banda Tapajoara. Até hoje a banda mantém o prestígio e reconhecimento, que se transformam em agendas de apresentações nas cidades do Pará e Amazonas.

Aliado a música, Antonio Paixão é um brincante dos blocos de carnaval. Desde 2005, tradicionalmente nas quartas-feiras de cinza reúne, os profissionais que trabalham incansavelmente no período do carnaval, que atualmente arrasta centenas de pessoas no bloco "Só Fuleragem", invadindo as principais ruas do centro da cidade com brincantes dispostos a encerrar o período carnavalesco regado à diversão e alegria.

Pe. Sidney Canto – é um formidável escritor de artigos sobre história regional do Tapajós. Suas relevantes pesquisas ganham páginas de jornal, blogs e revistas da região Oeste do Pará. Foi no ensino colegial que despertou grande interesse pela História de Santarém, e a partir de então passou se dedicar a pesquisa. Influenciado pelas amizades e convívio com os maestros Wilson e Wilde Dias da Fonseca e o poeta Emir Bemerguy, além de outros nomes da cultura santarena, passou a se aprofundar ainda mais neste assunto. Sempre atento à memória e cultura do povo, além do campo eclesiástico, participou da criação das entidades - Academia de Letras e Artes de Santarém – ALAS e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós – IHGTap.

"Recordare: Histórias da Fé e da Cultura do povo de Santarém" (2006); "Índios no Baixo Amazonas e Tapajós: histórias e costumes"; "Alter do Chão e Sairé: contribuição para a história"; "A Festa da Padroeira de Santarém" e "De Cuiabá a Santarém: anotações históricas" (2014) são algumas publicações frutos de suas incansáveis pesquisas.

Tadeu Pinho Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação