Notícias

Atualizado em 25/05/2018 às 15h25

Plantio de mudas vai garantir recuperação de área invadida do Igarapé do Urumari


"Trezentas mudas entre espécies frutíferas, medicinais e de madeira de corte foram plantadas pela Semma e Semap"

A área ao longo do Igarapé do Urumari que sofreu desmatamento por invasão e passou por reintegração de posse em setembro de 2017, recebeu nesta sexta-feira (25), o plantio de 150 mudas de árvores. A intervenção ambiental é da Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (Semap). Outras 150 mudas foram plantadas em abril deste ano, na primeira ação de recuperação da área.

O presidente da Associação do América Futebol Clube, Leonardo Bentes, contou que o espaço possuía mata nativa que era preservada pelos moradores das proximidades, mas com a chegada dos invasores várias árvores foram derrubadas afastando animais e colocando o trecho do igarapé em risco.

"Desde 2003, quando fundamos a associação, estamos protegendo o local para não desmatarem justamente por causa do igarapé. Em 2006 começou o processo de invasão, mas conseguimos tirar as pessoas. Já em 2017 uma nova ocupação foi organizada e só foram retirados por ordem judicial", destacou Leonardo Bentes.

Segundo o educador ambiental da Semma, João Correa, a retirada dos ocupantes da Área de Preservação Permanente (APP) foi necessária para assegurar a proteção dos recursos naturais. "A decisão cumpriu a legislação vigente, uma vez que constatou a depredação ambiental provocada por construções irregulares quando árvores foram derrubadas e lançadas dentro do próprio Urumari prejudicando o curso d'agua com o assoreamento. Hoje, fizemos o plantio dessas mudas para garantir a recuperação florestal juntamente com as espécies nativas".

Em março de 2017, a Semma realizou vários diálogos com os moradores que ocuparam as margens do manancial com construções ilegais. Os ocupantes foram orientados a se retirar por força de decisão judicial devido as moradias estarem numa APP, onde é proibido qualquer tipo de construção, conforme a Lei Federal Nº Lei 12.651/12 que institui o Código Florestal Brasileiro.

Como os ocupantes não acataram a solicitação, foram notificados, autuados e o caso encaminhado à 6ª Vara Cível e Empresarial de Santarém, que em 25 de março de 2017 deferiu a liminar, determinando a retirada de todos os ocupantes do referido local.

A decisão foi executada no dia 15 de setembro de 2017 de forma integrada entre o Grupo Tático Operacional, 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra). A operação também contemplou a ação judicial realizada pela Associação de Moradores do Bairro Urumari que reivindica terreno da entidade invadido pelos ocupantes.

Em abril deste ano, uma primeira etapa da ação realizou o plantio de 150 mudas, produzidas nos viveiros do Parque da Cidade. Para o local devastado foram implantadas espécies frutíferas, medicinais e de madeira de corte em que o manejo pode ser feito, sendo: Ipê (19); Pará-Pará (13); Piririqueira (01); Pau preto (01); Macacaporanga (02); Massaranduba (03); Andiroba (05); Palhetinha (17); Cedro Mogno (20); Flamboyant (07); Açaí (52) e Cumaru (03).

Já nesta sexta-feira (25), mais 150 unidades foram plantadas: Jaca (8); Café (2); Uxi (2); Cedro Mogno (18); Azeitona (07); Cupu Açu (15); Ingá (05); Andiroba (10); Leucena (22); Paricá (46); Macacaporanga (05); Ipê amarelo (05) e Oiti (05).

A aliança entre Semma, Semap e moradores vai possibilitar que as plantas se desenvolvam, pois a parceria das instituições e a população deve tomar os cuidados necessários como podas e irrigação para que as espécies cresçam saudáveis. Além de denunciar quem voltar a cometer os crimes ambientais ao longo do Igarapé do Urumari.

Júlio C. Guimarães Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação