Notícias

Atualizado em 26/04/2018 às 12h34

Prefeitura realiza exposições do artesanato dos indígenas Warao


A Prefeitura de Santarém por meio da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtras), através da Casa de Acolhimento para Adultos e Famílias (CAAF), inicia neste domingo (29) exposições sobre o artesanato e cotidiano dos indígenas venezuelanos da etnia Warao. O objetivo é proporcionar a população de Santarém e visitantes informações sobre a cultura deste povo.

Saiba Mais:

Os artesanatos, produzidos pelos próprios indígenas, lançam um olhar sensível e respeitoso para a história. A intenção é também buscar despertar a atenção de instituições e pessoas quanto à situação dos indígenas e suas reais necessidades. Todas as peças estarão à venda.

A 1ª exposição será realizada neste domingo (29), no Shopping Rio Tapajós, das 14h às 19h. A 2ª, no dia 4 de Maio, na entrada do Mercadão 2000, pela Avenida Tapajós, das 09h às 12h. O 3º dia de exposição será 11 de Maio, na Ufopa, espaço Muiraquitã, localizado na Avenida Mendonça Furtado, das14h às 18h.

Os índios Warao ou "Povo da Água" são refugiados da Venezuela. Eles começaram a migrar em grupos para várias cidades do Brasil com a intenção de fugir da crise em seu país. A situação na Venezuela provocou uma forte onda migratória para os países vizinhos da América Latina, principalmente o Brasil que oferece proteção a cidadãos que sejam alvo de perseguições em seus países de origem por motivos, religiosos, raciais, de nacionalidade, grupo social ou posicionamento político, ou que estejam sujeitos a violações graves dos direitos humanos.

O Município de Santarém foi surpreendido com a chegada dos refugiados no dia 28 de setembro de 2017, quando um grupo formado por 30 indígenas desembarcou na cidade. De acordo com levantamento da Semtras, mais de 250 venezuelanos refugiados já passaram por Santarém. Atualmente 95 estão sendo acolhidos na Casa de Acolhimento para Adultos e Famílias, localizada no Cambuquira.

A maioria dos indígenas da etnia Warao que estão em Santarém pretende fixar moradia, encontrar um trabalho. Para isso, eles já começaram a aprender o idioma.
A Prefeitura de Santarém por meio da Semtras, em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) realizou uma ação no final de março para registrar os migrantes venezuelanos refugiados em Santarém. O objetivo foi regularizar a documentação oferecendo a oportunidade da legalização da situação deles no Brasil.

"Não temos medido esforços para acolher essas pessoas que fogem da fome com seus filhos e famílias. Muitas crianças que aqui chegam, estão abaixo do peso ideal, estão visivelmente debilitadas devido a situação em que estão vivendo em seu país. A Semtras montou uma equipe de cuidadores, educadores sociais, pedagogos, psicólogos, assistentes sociais, estrutura física, alimentação, higiene, ações de saúde para os acolhidos, e tem junto com outras secretarias buscado atender a necessidade de todos. A Secretaria Municipal de Educação (Semed), já está desenvolvendo atividades educacionais com as crianças, no sentido de prepará-las para entrar nas escolas, os adultos serão preparados para aprender a língua portuguesa, a Secretaria de Saúde tem feito acompanhamento de saúde. A população tem ajudado com doações de alimentos, roupas. Todos têm se mostrado acolhedores", ressaltou a secretária Municipal de Trabalho e Assistência Social, Celsa Brito.

Geisa de Oliveira Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação