Notícias

Atualizado em 24/04/2018 às 11h47

Combate à dengue reduz registros de casos e conscientiza população


Agente de endemia visita residência para ortientaçõesOs índices de infestação predial pelo mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, diminuiu nos dois últimos anos em Santarém. Os dados são do Levantamento de Infestação Rápida (LIRA), divulgado a cada dois meses pela Divisão de Vigilância em Saúde (Divisa), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), da Prefeitura de Santarém.

De acordo com o LIRA, em 2016, o índice de infestação predial em Santarém fechou o ano em 2,16%; já em 2017, o ano fechou com uma redução, apresentando índice de 1,85% em dezembro. Além disso, em 2016, Santarém registrou 12 casos confirmados de dengue, já em 2017 esse número baixou para 2 casos. Neste ano de 2018, até março, a Divisa não contabilizou nenhum caso da doença.

Segundo o coordenador da Divisa, João Alberto Coelho, o órgão tem intensificado as ações de combate aos focos do Aedes Aegypti, por meio das visitas domiciliares de seus Agentes de Endemias, durante 2017 e esse primeiro trimestre de 2018.

O objetivo tem sido alcançado. Reduzir os focos do mosquito e conscientizar a população sobre os riscos da doença. Em 2016, foram trabalhados 356 mil 501 domicílios e eliminados 5 mil 570 focos do mosquito. Em 2017, foram realizadas 344.209 mil visitas em domicílios, com uma eliminação maior de focos: 5.880 mil. Até março deste ano, os agentes de endemias realizaram 85.108 mil visitas, com eliminação de 2.048 focos, até o momento. Vários domicílios recebem mais de uma visita dos agentes.

Para João Alberto, as estratégias de controle adotadas pelo município estão surtindo efeito, mas a população também precisa ajudar nesse controle. "Além dessa atuação efetiva por parte do poder público, é preciso uma mobilização social, uma conscientização maior por parte da população, que é coautora nesse processo. Eles precisam fazer sua parte, ajudando também na eliminação dos focos do mosquito", ressaltou. Ele destacou ainda que a população precisa fiscalizar seus domicílios, evitando acúmulo de água em recipientes. Com isso, estará colaborando e se protegendo de uma possível epidemia. "É preciso que todos continuem tomando os cuidados necessários para eliminar os criadouros, para que ninguém corra o risco de contrair as doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti", alertou.

O coordenador finaliza explicando que o trabalho dos agentes de endemias deve continuar em todos os bairros santarenos, de forma incansável, para combater os focos do Aedes Aegypti. "Reduzindo, cada vez mais o número de casos de dengue em Santarém", finalizou.


Saiba Mais:

Dayse Lima Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação