Notícias

Atualizado em 20/03/2018 às 13h59

Gestores e pedagogos de escolas municipais apoiam Projeto de Enfrentamento ao Trabalho Infantil


A Prefeitura de Santarém, por meio da equipe de Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Aepeti), equipamento ligado à Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtras), se reuniu na manhã desta terça-feira (20), com gestores e pedagogos de 13 escolas municipais da região de Planalto, Eixo Forte e da cidade, que serão assistidas pelo projeto "Aepeti na Escola".

A coordenadora da Proteção Social Especial, Adriana Encarnação, deu as boas vindas e esclareceu o objetivo do projeto e agradeceu a presença de todos para juntos levar a orientação para a comunidade escolar, alunos e pais sobre a necessidade de Enfrentamento ao Trabalho Infantil, que reflete no baixo rendimento escolar, na questão da saúde, e o risco social em que a criança está exposta, esclarecendo acima de tudo o que é considerado trabalho infantil e o que não é, "ajudar em casa lavando uma louça, varrendo uma casa, não é considerado trabalho infantil, agora a exploração doméstica, é considerada trabalho infantil", destacou Adriana.

Joel Nascimento, Coordenador pedagógico da Assessoria da região de Planalto, representando a Secretaria Municipal de Educação (Semed), ressaltou a importância do projeto em contemplar essas escolas, "a Semed trabalha um diagnóstico para avaliar qual é a situação do aluno quando chega na escola, e ao final do ano é avaliado o resultado que muitas vezes não é um resultado agradável, por isso a necessidade de saber a consequência desse resultado e a gente verifica que muitas vezes é pelo trabalho infantil, e essa parceria com a Semtras e a equipe do Aepeti será muito importante para trabalhar diretamente nas escolas com alunos do sexto ano e também com os pais para juntos podermos erradicar o trabalho infantil".

"Toda escola existe o diagnóstico de trabalho infantil, lá na escola nós percebemos a necessidade desse projeto devido o fato de que as crianças são expostas ao trabalho infantil, elas trabalham ajudando nas hortas, elas vão pra escola, mas vão cansadas, e não têm um bom aproveitamento escolar. É importante esclarecer para as crianças a diferença do que é considerado trabalho infantil e o que não é", ressaltou a diretora da escola Municipal Tereza Neuma da região de Planalto, Amália Melem.

"Esse projeto nas escolas sendo apresentado para gestores e pedagogos, vem fortalecer o nosso trabalho diário, e vêm esclarecer a questão do trabalho infantil, ajudando a diagnosticar as crianças e complementar o trabalho desenvolvido no dia a dia, é uma grande contribuição para as escolas e nós tivemos o privilégio de sermos escolhidos para receber esse projeto", garantiu Cleiton Soares, Diretor da Escola Municipal Nossa Senhora do Perpétuo Socorro da comunidade de Cucurunã região do Eixo Forte.


"Foi em parceria com a Semed que conseguimos fazer a seleção dessas escolas que contemplam a região de Planalto, Eixo Forte e a cidade, nas áreas consideradas em vulnerabilidade social. A Semed nos ofereceu um diagnóstico e podemos identificar a necessidade de levarmos o projeto "Aepeti na Escola", que leva esclarecimentos para gestores, crianças e pais, sobre o que é o trabalho infantil. Quando é feita a identificação da criança na escola elas serão avaliadas primeiramente pelo Conselho Tutelar e depois dependendo do caso são encaminhadas para o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e depois seguirá em acompanhamento nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), mais perto da casa dessa criança, ressaltou Carise Pedroso, Coordenadora da Equipe de Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Aepeti).


A cada mês á partir de Abril 03 escolas serão comtempladas com o "Aepeti na Escola".


Sobre:

As Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Aepeti), com o apoio do Ministério Público do Trabalho (MPT), elaborou o projeto "Aepeti nas Escolas" com ações que possibilitem alcançar não só os alunos, como também os pais e a comunidade escolar no enfrentamento ao trabalho infantil.
Essa ação conjunta, em parceria com o MPT e Secretaria Municipal de Educação (Semed) objetiva desenvolver ações no eixo de atuação que corresponde a informação e mobilização, através de atividades lúdicas, e a distribuição de uma cartilha informativa referente ao enfrentamento ao trabalho infantil.

O projeto iniciou em agosto nas escolas da rede municipal, em turmas do 5º ano do ensino fundamental, para pais e educadores, situados em bairros de vulnerabilidade social.

Oito escolas foram beneficiadas com o projeto, com mais de 500 participantes.

Geisa de Oliveira Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação