Notícias

Atualizado em 24/02/2018 às 13h03

Seis peixes-boi da Amazônia são avaliados para soltura na natureza


"Os animais são fruto das operações de resgates realizadas pelo ZooUnama e Semma"

Os seis animais da espécie Trichechus Inunguis, popularmente conhecidos como peixes-boi da Amazônia, que estão em processo de adaptação na comunidade Igarapé do Costa, várzea santarena, Rio Amazonas, passaram por novas avaliações veterinárias ao longo desta sexta-feira (23).

Os animais são fruto das operações de resgates realizadas pela Universidade da Amazônia (Unama), por meio do ZooUnma, em parceria com a Prefeitura de Santarém, via Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).


"Os mamíferos aquáticos estão na segunda fase de adaptação que leva entre 1 a 1 ano e meio, ficam em tanque flutuante, dentro do Rio Amazonas. Já a primeira fase foi no próprio zoológico, trazidos pelas equipes da Semma e ZooUnama, após resgate, eles permaneceram na instituição entre dois a quatro anos, em tanques artificiais onde foram alimentados". Informou Mary Jane Carvalho, coordenadora do ZooUnama.

O chefe de fiscalizações da Semma, Arlem Lemos, destacou que o peixe-boi da Amazônia é uma das espécies que estão na lista dos animais ameaçados de extinção: "São animais bastante dóceis, por isso, é fácil a captura que não pode ser realizada de forma alguma, devido estarem sujeitos a desaparecer. O criminoso que for pego com o animal, matar, ou perseguir, está sujeito a pena de prisão entre seis a uno, além de multa".

Confira mais...

Na avaliação foram realizados a pesagem, medição física e coleta de sangue. A intervenção conta com a presença de acadêmicos de veterinária do Rio de Janeiro (RJ) que realizam intercâmbio na região.

A data soltura dos animais deverá ser definida pelo ZooUnama, após os resultados dos exames clico veterinários.

Júlio C. Guimarães Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação