Notícias

Atualizado em 07/02/2018 às 20h00

Semma realizará fiscalizações na região do Ituquí para o combate à pesca predatória

Arrastões ocorrem principalmente entre outubro a janeiro, período de intenso verão, quando os lagos e rios estão mais secos, o que facilita a captura das espécies


Em encontro realizado ao longo desta quarta-feira (7), a Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca (Semap), em conjunto com o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), foi definido que ao longo de 2018 devem ser realizadas fiscalizações na região do Ituquí, a fim de combater a pesca predatória.

A reunião contou com a presença de 36 lideranças das comunidades de Aracampina, Conceição, São Benedito, São Raimundo, São José, Vila Marques e Nova Vista, pertencentes à região do Ituquí, várzea santarena.

Segundo o presidente do Conselho da Pesca da Região do Ituquí, Carlos Valente, a área possui aproximadamente 450 famílias que sobrevivem da pesca artesanal e a pesca predatória por arrastão vem ocorrendo principalmente de outubro a janeiro, período de intenso verão, quando os lagos e rios estão mais secos, o que facilita na captura das espécies. "Acabam levando os maiores peixes e deixando os filhotes mortos gerando grande prejuízo para as comunidades. O surubim, a pescada, o bocó, curimatá, peixes que estão em reprodução, pleno período do defeso. Agora, os rios estão enchendo e notamos a dificuldade de conseguir peixe. Por isso, estamos montando novo acordo de pesca e precisamos que todos os comunitários se envolvam nesta causa, além de precisarmos do apoio da Semma e demais órgãos".

A secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela, disse que esses encontros são importantes porque vão subsidiar a Semma com informações importantes para a articulação de estratégias das operações fiscalizatórias. Segundo ela, desde janeiro deste ano as visitas às regiões estão ocorrendo com o intuito da Secretaria fazer um mapeamento e a montagem dos planos de fiscalizações, sendo que, em janeiro deste ano, já foi realizada a primeira ação na região do Arapemã, resultando no flagrante de 15 pescadores cometendo a pesca ilegal.

Saiba mais:

"A demanda de denúncias é bastante elevada. Temos ao menos 27 km² de área para cuidar. Desde janeiro, já foram 8 viagens às grandes áreas, estamos com um cronograma empenhando todo o esforço das equipes e do gestor municipal que não está medindo esforços para atender tanto a zona rural quanto urbana. Desde ontem estamos com uma grande operação na área urbana, quando foi um frigorífico foi flagrado com produtos sem procedência e em péssimas condições de armazenamento", informou Vânia Portela.

Como resultado da reunião, ficou definido que a Semma montará operações sigilosas na região com o intuito de fazer o flagrante dos criminosos ambientais, já que na maioria das vezes a maior dificuldade dos fiscais é chegar aos delinquentes.
Denuncie

As denúncias podem ser feitas ligando para o Niop (190), ou apresentar as demandas pessoalmente à Semma, localizada na Trav. Silva Jardim, nº 370, bairro Aldeia, ou pelo (93) 3522 5452. A identidade do cidadão será mantida em absoluto sigilo.

Júlio C. Guimarães Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação