Notícias

Atualizado em 26/01/2018 às 13h16

Campanha de vacinação antirrábica prossegue até 31 de janeiro


A Prefeitura de Santarém, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da Divisão de Vigilância em Saúde (Divisa), órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), prossegue até o dia 31 de janeiro com a campanha de vacinação antirrábica no município. Em Santarém, a campanha iniciou no dia 11 de novembro, com o Dia D de Vacinação Antirrábica.

De acordo com o coordenador da Divisão de Vigilância em Saúde (Divisa), João Alberto Coelho, a meta da campanha é vacinar 58 mil cães e gatos em todo o município. Até o momento, segundo ele, a campanha já atingiu 80% da meta e ele espera que, até o dia 31 de janeiro, esse número seja alcançado. Para isso, ele informou que está com uma equipe de dez profissionais na região do Lago Grande do Curuai, onde a equipe espera vacinar mais 6 mil animais.

Em Santarém, a vacinação está sendo feita no CCZ, localizado na Av. Moaçara, no bairro Aeroporto Velho, no período da manhã e da tarde, sendo que os donos de animais podem levá-los até o local para que recebam a vacina gratuitamente. "Todos devem vacinar seus animais de estimação. Isso se chama posse responsável. As pessoas precisam ter consciência de que para se ter um animal de estimação é preciso também ter responsabilidade sobre eles. Criar um animal gera um custo e quem cria tem que ter a percepção disso. Manter esse animal com as vacinas em dia, é umas das responsabilidades importantes de quem cria", destacou João Alberto Coelho.

Todos os anos, cães e gatos devem ser vacinados contra a raiva a partir do quinto mês de vida. A raiva é uma doença considerada incurável e a taxa de mortalidade é de quase 100%. Ela é causada por um vírus e é transmitida ao ser humano através do contato da saliva (mordida ou lambedura) de animais que estão contaminados, bastando que algum tipo de ferida já existente entre em contato com a saliva do animal doente.

Cuidados
Se a pessoa for agredida por qualquer animal, deve-se lavar imediatamente a ferida com água e sabão e procurar imediatamente um serviço de saúde para obter orientações sobre indicação de vacina ou soro.

Quando a agressão for por cães ou gatos, os animais deverão ser confinados por dez dias após a agressão, para observação de sintomas da doença. Se o animal morrer, deve-se informar o departamento de zoonoses do município, imediatamente.

Sintomas
Os principais sinais clínicos da raiva são: perda de apetite, alterações de comportamento, agitação e agressividade, sendo estes os primeiros; seguidos de agitação, agressividade extrema, falta de coordenação motora, paralisia de músculos da deglutição e da mandíbula, que resulta em salivação e dificuldade em engolir.

Caso seu animal de estimação apresente alguns destes sintomas, procure assistência veterinária o quanto antes para iniciar o tratamento, já que em questão de onze dias seu animal pode vir a óbito. A vacina antirrábica é ainda a única forma de prevenção contra a doença.

Dayse Lima Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação