Notícias

Atualizado em 17/01/2018 às 13h31

Utensílios de argila se destacam entre os artesanatos do Lago Grande


O Lago Grande é uma região que em sua composição possui uma característica de várzea (rica em peixes, pássaros e flora), lagos de águas brancas e águas pretas, e regiões de terra firme que constituem lindos campos naturais, intimamente ligados ao rio Amazonas.

Conhecido carinhosamente como, o Lago Grande do Curuai, possui várias comunidades que se destacam com a fabricação de artesanato, a partir da palha e do barro, que são transformados em belíssimas peças, para decoração, utilidade doméstica e para cozinhas de restaurantes - muitas estão expostas para venda na Loja do Lago Grande, no Cristo Rei – Centro de Artesanato do Tapajós.

Os turistas e visitantes que freqüentam o Centro de Artesanato do Tapajós podem conhecer as variadas peças que compõe a Loja do Lago Grande. Panelas de todos os tamanhos, travessas, cuias, cinzeiros e fruteiras são algumas utensílios produzidos pelas famílias das comunidades do Curuai e Paysandu, que utilizam técnicas de manuseio da argila, matéria-prima da produção das peças de barro.

Os utensílios são produzidos, a partir da coleta do barro preto, que é retirado da parte mais profunda do rio, de onde as peças ganham um tom mais rajado e esbranquiçado. Já o barro vermelho é retirado da parte mais rasa e/ou da parte mais seca da margem do rio, onde a peça tem a tonalidade mais avermelhada e até branca.

Com técnica de modelagem totalmente manual, todas as peças têm resistência ao fogo, que permite o cozimento de alimentos em altas temperaturas, por isso são bastante recomendadas para cozinhas especializadas em servir alimentos nas panelas de barro.

A resistência ao fogo se dá pela utilização das cascas da planta caripé, ou caraipé (árvore amazônica, do gênero licânia), que após ser retirada da árvore são queimadas, suas cinzas são piladas até virar pó, que é misturado na argila, e após essa mistura são moldadas as peças. Pronta, a peça vai para uma fogueira com bastante brasa, até atingir o ponto ideal para a conclusão da produção do utensílio.

Com a peça ainda quente, o interior do utensílio recebe a seiva da jutaicica (resina do jutaí), que é aplicada com muita habilidade para que não fique nenhuma bolha após a aplicação. A técnica serve para impedir que qualquer partícula se solte da peça e se misture no alimento, ficando seu interior bem compactado, e também para evitar que o barro absorva a água da panela.

Além da decoração, as pessoas procuram muito as peças para elaboração de muitos pratos, como a maniçoba, feijoada, galinha caipira, o cozidão, dentre outros. Os Preços das panelas variam de R$ 40,00 (quarenta reais), panelas de um litro e meio, até R$ 155,00 (cento e cinquenta reais), panelas de 15 a 20 litros. As cuias no valor até R$ 15,00 (quinze reais) e as travessas de R$ 40,00 (quarenta) a R$ 100,00 (cem reais).

Na Loja do Lago Grande, também são expostos para venda, produtos confeccionados a partir das palhas do tucumã, que são produzidos pelas famílias das Comunidades de Carariacá, Jacaré, Arimun, Vila Socorro, Vila Amazonas, Curuai e Terra Preta, que vão desde fruteiras, até o chapéus para as danças de carimbó, que custam em média R$ 30,00 (trinta reais).

O Cristo Rei - Centro de Artesanato do Tapajós está localizado na Avenida Barão do Rio Branco, 375, Centro.

Mais informações:
- Gerente Comercial da Loja Lago Grande – Cézar Belém – 093 99146-1345

Tadeu Pinho Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação