Notícias

Atualizado em 08/01/2018 às 13h50

Semed e cooperativas traçam planejamento de entrega de produtos para o ano letivo de 2018


Representantes das cooperativas habilitadas na chamada pública de 2017 para fornecimento de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar do ano letivo de 2018 participaram, na manhã desta segunda-feira (8), na sala da Divisão de Atendimento ao Educando (DAE), da reunião de planejamento do calendário de entrega para elaboração dos novos cardápios.

Segundo a chefe da divisão, Vanda Maia, o planejamento é necessário para que a Semed não faça pedidos de produtos que as cooperativas não terão para fornecer. "Os nossos cardápios devem ser montados de acordo com a oferta de produtos das cooperativas. Se a safra do momento é de melancia, eu não posso solicitar, por exemplo, uma fruta que está na entressafra. Então, são os produtores que sabem o que eles estarão colhendo nesse início de ano para fornecer para a alimentação escolar", explicou.

O presidente da Associação de Cooperativas de Produtores de Santarém, Belterra e Mojuí dos Campos (Cooprumbel), Mário Zanelato, declarou que a reunião de planejamento é de fundamental importância para que não haja desencontro entre os pedidos da Semed e a capacidade de fornecimento dos produtores. "Hoje, grande parte dos produtores rurais de Santarém, Belterra e Mojuí produz para fornecer para a merenda escolar. É bom para os alunos que recebem uma alimentação de qualidade. E bom também para os produtores que conseguem escoar sua produção evitando prejuízos com o excedente que muitas vezes ia parar no lixo", destacou.

Saiba mais:
Notícias sobre a Educação

A nutricionista da Semed, Simone Cardoso, também participou da reunião. A partir das informações repassadas pelos produtores sobre os produtos da safra, começa a elaboração do cardápio que será seguido pelas escolas do ensino fundamental e unidades da educação infantil de Santarém. "Com a aquisição de produtos da agricultura familiar da região, nós temos um ganho na qualidade da alimentação dos alunos da rede e, com isso, os produtores também ganham, é renda circulando no município de Santarém. É essencial termos produtos da agricultura familiar no cardápio das escolas, pois uma alimentação de qualidade favorece o desenvolvimento físico e mental das nossas crianças", pontuou.

Sobre o PNAE

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) oferece alimentação escolar e ações de educação alimentar e nutricional a estudantes de todas as etapas da educação básica pública. O governo federal repassa a estados, municípios e escolas federais, valores financeiros de caráter suplementar efetuados em 10 parcelas mensais (de fevereiro a novembro) para a cobertura de 200 dias letivos, conforme o número de matriculados em cada rede de ensino.

Em Santarém, a aplicação dos recursos do PNAE é fiscalizada pelo Conselho de Alimentação Escolar (CAE), e também pelo FNDE, pelo Tribunal de Contas da União (TCU), pela Controladoria Geral da União (CGU) e pelo Ministério Público.

Sílvia Vieira Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação