Notícias

Atualizado em 23/11/2017 às 12h27

Prefeito de Santarém participa de ato que conquistou ajuda R$ 2 bilhões a municípios do País

O auxílio emergencial não resolve a crise financeira dos municípios, mas ajudará em parte do 13º salário.


O Prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, participou na quarta-feira (22), de uma mobilização que reuniu centenas de prefeitos de todo o País no gramado do Congresso Nacional, em Brasília. Organizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o ato denominado "Não Deixem os Municípios Afundarem" teve como finalidade pedir ao Governo Federal ajuda financeira aos Municípios.

Ao final da noite de quarta-feira, o prefeito de Santarém que também é vice-presidente da Federação das Associações de Municípios do Estado do Pará (Famep), o presidente da Federação Xarão Leão e mais 26 prefeitos reuniram com o presidente da república Michel Temer e conquistaram autorização para o repasse de R$ 2 bilhões, até dezembro deste ano, aos municípios brasileiros sob forma de Fundo de Participação dos Municípios (FPM). "Essa conquista é resultado da união de todos os prefeitos do País. Estamos em Brasília desde terça-feira buscando ajuda para enfrentar essa grave que crise que passamos. Este auxílio emergencial não resolve a crise financeira dos municípios, mas ajudará em parte do 13º salário", afirmou Nélio Aguiar.

A outra metade do auxílio (R$ 2 bilhões) será repassada em 2018.

No primeiro dia de atividades da campanha, na terça-feira (21), os gestores conquistaram respostas positivas como: a liberação da última etapa do Luz Para Todos, a sensibilização da bancada paraense para a votação do Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM), aprovação das novas alíquotas da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) e aprovação do relatório sobre a Lei Kandir.

Ainda na quarta, o movimento municipalista conseguiu por unanimidade a derrubada do veto ao Encontro de Contas.

"Estamos nos mobilizando pra tentar escapar desse 'naufrágio' que ocorre não por irresponsabilidade dos prefeitos, mas por causa do modelo de política implantada no país. Um modelo que a cada ano transfere mais responsabilidades aos municípios com menos recursos. Municípios que dependem só de FPM são os que mais estão sofrendo. Creio que não seja interesse da nação quebrar os municípios porque é lá que as pessoas vivem e precisam das políticas públicas", afirmou Nélio Aguiar.

Nélio Aguiar, que também é presidente da Associação dos Municípios das Rodovias Transamazônica, Santarém/Cuiabá e Região Oeste do Pará(Amut) participou do evento ao lado dos prefeitos de: Anapu – Aelton Silva, Aveiro – Vilson Gonçalves, Brasil Novo – Alexandre Lunelli, Itaituba – Valmir Climaco, Placas – Raquel Possimoser, Porto de Moz – Rosibergue Campos, Uruará – Gilson Brandão, vice prefeito de Medicilândia – Edmar Kruger e de Pacajá o vice presidente da Amut - Francisco Oliveira.

Anna Karla Lima Agência Santarém

Prefeitura de Santarém - Coordenadoria de Comunicação